segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Da Expansão e Reclusão Pode Nascer Uma Estrela

 Por Rosangela Brunet


"Fundamental para expansão da consciência é o reconhecimento de que constância da vida é sua impermanência" James Hollis

Hoje estava lavando uma caneca e deixei cair o detergente. Quando me baixei para  pegá-lo percebi que sua tampa havia fechado com o impacto da queda. Me lembrei desse mecanismos que desenvolvemos ao longo da vida quando alguém nos derruba de alguma forma e, por sua força feroz corremos o risco de ficarmos fechados para outras oportunidades de viver.
Mas com um olhar mais atento logo entendemos porque ele se fechou.Ele sentiu a queda, e a ameaça de ser invadido o fez se defender na hora certa.Mas ele não sabe se abrir sozinho.Precisa de alguém que oportunize sua função.Somos um pouco assim.Precisamos uns dos outros nas horas de reclusão e esconderijo .São momentos de intensa solidão, onde não se quer mais dar lugar a outro acolhimento e possível conforto. A engrenagem que nos estimula e vigora são,agora, segredos guardados a sete chaves sustentada pelo impacto da decepção. Qualquer fundamento ou sustentação só sobrevive em nossas mãos. É o momento da ponderação divulgando nossas incertezas representada pela fechadura dourada que revela
impossibilidade de amar outra vez.
Mas, o sobrenome do amor é vida, felicidade e libertação.Sem issocontinuaremos à "margem de nós mesmos".Muito tempo fechado faz a chave enferrujar.

Não deixe portas entreabertas
Escancare-as ou bata-as de vez.
Pelos vãos, brechas e fendas passam apenas semi ventos,meias verdades e muita insensatez."
Cecília Meireles, in: Calçada de Verão.
Editora Nova Fronteira.Rio de Janeiro, 1989

Fechados não sabemos o que esta em nossa frente.Olhamos pelas "fendas ,onde passam apenas semi ventos, meias verdades e muita insensatez. ",como disse Cecília Meireles.Há que se decidir "bater a porta de vez ou a escancará-la".Mas para isso , é mister não se entregar, e sobretudo, discernir com sabedoria a mão que se estende para nos levantar.Mas "O homem saudável identifica sua necessidade dominante em determinado momento (figura), escolhe a forma de satisfazê-las e se dispõe a atender à nova necessidade (nova figura), dando curso ao fluxo permanente de formações e dissoluções de gestalten" [1]

O famoso "fechado para balanço , no momento da queda " traduz esse encaixe mágico de nos desvendar e nos permitir soltar outra vez. A reclusão nem sempre é ruim. Ela faz parte dos ciclos da vida. Precisamos "promover o caos" para depois sabermos nascer. Os mecanismos de defesa do ego são importantes nessa hora. Por isso, é necessário respeitar esse momento temporário. Há gatilhos que nos remetem ao passado e retoma os sentidos adormecidos,e depois acordamos mais lindos e soltos para vivermos mais plenos.Nada é em vão. Gatilhos suspendem nossos vestígios doloridos de abandono e dores que não desejamos mais
reviver ,mas é necessário ,ás vezes, reencontrá-los e, se fechar para se esbarrar com eles , e então retornar ao amor.

Termino esta reflexão com este trecho de Vera Felicidade : Quando somos surpreendido pelo que não percebíamos, não conhecíamos, o encontro se configura revelação, descoberta, conhecimento; é o encontro sem prévio, sem busca: apodítico. Descortina-se outra configuração, outra realidade, outra vivência: paixão pelo encontrado, pelo descoberto.É o caos, o conflito ou a imensidão do ser-com-o-outro no vértice que transcende limites, regras e padrões.."[2]



[1](Ginger, 1995) -"Mecanismos de Defesas Segundo a Gestatlt Terapia"
[2]Vera Felicidade .Psicoterapeuta

terça-feira, 24 de novembro de 2015

No que se refere ao poder, direito e verdade....

Por Rosangela Brunet
"Ouvi de um eminente crítico acadêmico a observação de que eu sou um triste sintoma do fracasso de uma classe intelectual em tempos de crise. A inferência é, suponho, que o professor e seus colegas são alegres sintomas de êxito. Os benfeitores da humanidade merecem as honras e a comemoração devidas. Construamos um Panteão para os professores. Deveria localizar-se entre as ruínas de uma das cidades destruídas da Europa ou do Japão, e acima da entrada eu inscreveria, em letras de seis ou sete pés de altura, estas simples palavras: "Consagrado à Memória dos Educadores do Mundo"Aldous Huxley [5]
Embora o homem seja responsável pela formação cultural, a sociedade depois de formada determina o que é politicamente correto,bonito e adequado, em função da teia que vai tecendo nas suas relações políticas e econômicas .
"...para assinalar simplesmente, não o próprio mecanismo da relação entre poder, direito e verdade, mas a intensidade da relação e sua constância, digamos isto: somos forçados a produzir a verdade pelo poder que exige essa verdade e que necessita dela para funcionar, temos de dizer a verdade, somos coagidos, somos condenados a confessar a verdade ou encontrá-la. (Foucault, 1999:29)
Esta arbitrária determinação promove uma aprendizagem destituída de espontaneidade estimulando um comportamento como educados cidadãos opressores.Eles pregam e ditam como é necessário se comportar , pois assim obedecemos a cada tirania conceitual formada por arrogantes construtores do saber. Temos, então que ser como eles desejam, á fim de sermos inseridos no grupo com suas formas pré estabelecidas e padronizadas de comportamentos considerados "corretos socialmente".Do contrário, a exclusão e a marginalização é certa.Nessa relação, as regras devem ser seguidas a despeito de qualquer circunstancia e as custas de nossas individualidade e liberdade de Ser o que deveríamos .O sentimento do outro não é levado em conta.Então, eu pergunto: quem é o violento ai?
"No que se refere ao poder, direito e verdade, sob a análise de Foucault, existe um triângulo em que cada item mencionado (poder, direito e verdade) se encontra nos seus vértices. Nesse triângulo, o filósofo vem demonstrar o poder como direito, pelas formas que a sociedade se coloca e se movimenta, ou seja, se há o rei, há também os súditos, se há leis que operam, há também os que a determinam e os que devem obediência. O poder como verdade vem se instituir, ora pelos discursos a que lhe é obrigada a produzir, ora pelos movimentos dos quais se tornam vitimados pela própria organização que a acomete e, por vezes, sem a devida consciência e reflexão Nessa perspectiva, pode-se entender a partir do autor por poder uma ação sobre ações. Foucault discorre que as relações de poder postas, seja pelas instituições, escolas, prisões, quartéis, foram marcadas pela disciplina: “mas a disciplina traz consigo uma maneira específica de punir, que é apenas um modelo reduzido do tribunal” (Foucault, 2008:149). É pela disciplina que as relações de poder se tornam mais facilmente observáveis, pois é por meio da disciplina que estabelecem as relações: opressor-oprimido, mandante-mandatário, persuasivo-persuadido, e tantas quantas forem as relações que exprimam comando e comandados. As relações de poder, direito e verdade, entre os setores mencionados, são tão complexas,tácitas, intrínsecas e interdependentes que, por vezes, encontram-se discursos de verdades e direitos desenhados pelo interesse individual, o que pode ser chamado de relação de força, “(...) tais forças estão distribuídas difusamente por todo tecido social” (Veiga-Neto, 2003:73)” (Veiga-Neto, 2003:73)[6]
Além das Escolas, prisões e quarteis , uma das melhores ferramentas neste processo de relação opressor x oprimido é a mídia. Os discursos impostos  são lindamente divulgados através de emissoras de TV comprometidas politicamente com o sistema .
"Não ser ninguém-a-não-ser-você-mesmo, num mundo que faz todo o possível, noite e dia, para transformá-lo em outra pessoa – significa travar a batalha mais dura que um ser humano pode enfrentar; e, essencialmente, jamais parar de lutar" E. E. Cummings
Há um movimento ideológico e econômico que tem interesse em nos tornar uma massa unificada anulando a individualidade e desrespeitando nossas características pessoais.Tentam nos convencer dia e noite, de forma sistemática que somos livres para pensar e responsáveis por nossas escolhas.Mas isso é um ledo engano. O que vemos não é liberdade.Por exemplo, por trás dos comerciais há uma teoria comportamental para manipular o consumidor .A mídia é controlada pelo sistema. Os Jornais só divulgam o que interessa. Há uma crise democrática no que se refere a mídia , em função do seu comprometimento econômico e político.Eles determinam o que a gente deve pensar, acreditar, ser, comprar, etc. Vemos um controle ideológico e econômico dos poderosos que precisam que o sujeito não pense , mas acredite que é livre para pensar e fazer escolhas .
Obra de Piet Mondrian 
"...os discursos e falas massivas da mídia se projetam como intérpretes e vigas de sustentação do ideário privatista do neoliberalismo e variações associadas. Incutem e celebram a tirania do dinheiro, a competição e o lucro, propagando valores e modos de vida que transferem para o mercado a regulação das demandas coletivas, como se isso fosse possível. Ao mesmo tempo, procuram neutralizar o pensamento crítico e as expressões de dissenso, reduzindo espaços para ideias alternativas e contestadoras, ainda que estas continuem se manifestando, resistindo e reinventando-se.(...) Os megagrupos midiáticos detêm a propriedade dos meios de produção, a infraestrutura tecnológica e as bases logísticas, como parte de um sistema que rege habilmente os processos de produção material e imaterial. Além de planejar e coordenar atividades correlatas, esse sistema exerce interferência crucial na circulação de informações, interpretações e crenças indispensáveis à consolidação de consensos sociais,...Na essência, as políticas de geração de conteúdos almejam a maximização de lucros, dentro das conveniências estratégicas das instâncias de emissão.Bem sabemos que existem respostas, interações e assimilações diferenciadas por parte do público consumidor dos produtos e mensagens midiáticos. Entretanto, em face da concentração transnacional das chamadas indústrias culturais, a possibilidade de interferência do público (ou de frações dele) nas programações depende não somente da capacidade criativa e reativa dos indivíduos, como também de direitos coletivos e controles sociais sobre a produção e a circulação de informações e entretenimento. "[3]
Obra de Mondrian, 1965
Obra de Mondrian Inspirou Coleção de Yves Saint Laurent

O dinheiro tem sido a "mola mestre" das relações políticas e sociais, ainda que não estejamos o tempo todo conscientes disso.É preciso muito trabalho, fé e vigilância para se livrar dessa teia .É um sistema que precisa manter o controle da nossa vida para poder se sustentar .
Os imperativos da moda, do consumo, do utilitarismo e do capital não deixam lugar para o ínfimo, o desútil, o íntimo, o desver, o falho, a falta, a fala. Tudo isso é, no entanto, o verdadeiro capital para o sujeito: a expressão de sua singularidade e de seus nadas” [1]
Quem não tem dinheiro é uma pessoa com muitos limites sociais .A segregação social ,a falta de dinheiro tira o acesso á qualidade de vida e convence as pessoas que elas que são responsáveis por isso. Antes os escravos , apesar de cativos conheciam seus direitos e tinham consciência de que não eram livres. Atualmente somos escravos e não sabemos. O cara acorda 6h da manhã , sai de casa ás 7h , e só chega ás 7h da noite exausto e estressado, e ainda tem que ficar grato e feliz porque tem um emprego. Só vê os filhos nos fins de semana, e muitas vezes para conseguir aquela promoção tem que fazer hora extra ou trabalhar nos fins de semana.
A ditadura perfeita terá a aparência de democracia, uma prisão sem muros onde os prisioneiros não sonharão sequer com a fuga.Um sistema de escravatura, onde graças ao consumo e ao divertimento , os escravos terão amor à sua escravidão" Aldous Huxley
O mercado precisa de pessoas que produzem , e para isso você precisa ser saudável e feliz. A realidade exige que você não incomode ninguém com seus problemas pessoais.Você não pode pedir licença porque seu filho ficou doente, não pode ficar doente. Depressão é sinônimo de demissão e fraqueza . Quem não produz esta á margem da sociedade. Por isso, eles preferem rotular e marginalizar. É como se fosse uma doença contagiosa. Ninguém tem mais tempo para família, e nem para os relacionamentos afetivos ou amizades. É tudo muito rápido, e as relações se tornaram líquidas. O "arauto do apelo moral da sociedade contemporânea tem sido o consumismo e o mercado ." [2]
 Quem define a as regras morais e sociais, quem determina o que é bom, o que é útil, o que é funcional é o sistema capitalista , cujo foco é a produtividade e o consumismo .A sociedade do excesso alimenta o materialismo , que por sua vez serve de resposta ás exigência existenciais. Seus produtos são tamponamentos para o vazio existencial de cada indivíduo , e depois que esse indivíduo se vicia nesses produtos, eles são estigmatizados pelo próprio sistema. Por exemplo, aquele indivíduo agora é chamado de compulsivo em compras, ou viciados em drogas, aquele outro tem síndrome de ansiedade, o outro é deprimido porque nunca esta feliz. Como disse Renato Dias Martino, um psicanalista; "é tarefa cabeluda ser normal numa sociedade desajustada"
"A indústria da propaganda e do slogan cria na população a vinculação entre a mercadoria e a felicidade(...) se elaboram tendências "culturais" padronizadas para determinados grupos sociais, exigindo simultaneamente pouca reflexão e grande capacidade de assimilação das tendências projetadas a cada estação. Como o "homem-massa" segue afoitamente as palavras de ordem de slogans e os mandamentos seculares dos ícones sociais explorados pela publicidade (instrumento por excelência do processo massificador da sociedade), sua mente se torna um grotesco depositário de ideias heteróclitas, perdendo assim qualquer autonomia nas suas escolhas. Vive-se, por conseguinte, conforme a "moralidade do impessoal", pois agir de forma destacada da coletividade anônima é algo ofensivo para o falso pudor da moderna civilização das massas; esta, em vez de promover o refinamento intelectual e cultural do indivíduo, se esforça acima de tudo por anular as próprias noções de singularidade e originalidade, criando blocos humanos desprovidos de personalidade, para que se possa assim melhor controlá-los." Renato Nunes Bittencourt
Vivemos numa sociedade onde o consumo material de bens tem determinado a utilidade e o valor dos indivíduos .O que permanece é o material, pois não se tem mais tempo para o essencial. Pois ser produtivo,motivado, feliz e saudável é o que importa para as empresas. Mas isso ,sem levar em conta a realidade pessoal de cada um.Temos que ser aquilo que eles determinam .Do contrário somos marginalizados.O esvaziamento de valores deu lugar aos robozinhos que produzem sem questionar.É um preço altíssimo que se paga pela "evolução"
Não sou comunista, nem estou aqui defendendo nenhuma ideologia.Minha reflexão é contra a tirania que enfrentamos todos os dias .Temos que ser aquilo que o sistema determina. Isso me incomoda. Para ilustrar melhor o que quero dizer tem um trecho de Karl Marx que gostaria de citar: "Quanto menos comes, bebes, compras livros, vais ao teatro e ao café, pensas, amas, teorizas, cantas, sofres, praticas esporte, etc., mais economizas e mais cresce o teu capital. «És» menos, mas «tens» mais. Assim todas as paixões e atividades são tragadas pela cobiça."
Enfim para terminar esta reflexão e deixo este texto de Simone Weil: "A submissão do maior número ao menor, esse fato fundamental de quase toda organização social, não deixa de assombrar todos os que refletem um pouco. Na natureza, observamos os pesos mais pesados prevalecerem sobre os menos pesados, as raças mais prolíficas sobrepujarem as outras. Entre os homens, essas relações tão claras parecem invertidas. Decerto, sabemos por uma experiência cotidiana que o homem não é um simples fragmento da natureza e o que nele existe de mais elevado - a vontade, a inteligência, a fé – produz todos os dias espécies de milagre. Mas não é disso que se trata aqui. A necessidade impiedosa que manteve e mantém de joelhos massas de escravos, massas de pobres, massas de subordinados, nada tem de espiritual; ela é análoga a tudo o que existe de brutal na natureza. Como se, na balança social, o grama excedesse o quilo"[4]
Zygmunt Bauman é um dos filósofos mais influentes dos dias de hoje.Nesse vídeo ele nos completa finaliza minha reflexão. Sua investigação , discurso e refelxão atravessa o tema : nossa forma como viver nessa sociedade líquida , com pressa constante , sem experimentar nada com profundidade, e consequentemente mudando de escolhas por incapacidade de suportar aquilo que e essencial. Nesse contexto o advento dos transtornos de Estresse vem aumentando na vida pós-moderna. Bauman sintetiza de forma brilhante o complexo conceito de Vida Líquida .Convido vocês a assistirem seu vídeo abaixo:


Referências :[1] O que responde o psicanalista? Ética e clínica
[2] Maria Rita Kehl,In:Café Filosófico
[3] 
 Renato Nunes Bittencourt,In: Mídia,Poder e Contra Poder
[4]- Simone Weil: Meditação sobre a obediência e a liberdade
[5]Aldous Huxley, em Admirável Mundo Novo
[6
Isabella Maria nunes Ferreirinha e Tânia regina raitz(In As relações de poder em Michel Foucault: reflexões teóricas)

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

"Opêndulo da mente se alterna entre perceber e não-perceber..." Carl Gustav Jung

Por Rosangela Brunet

"Os nossos olhos podem ver a imagem,mas é nosso cérebro que interpreta o mundo visual e gera respostas conginitivas e emocionais"
Zimmmerban, In "Neurociências em benefício da Edicação"

Carl Gustav Jung diz que "o pêndulo da mente se alterna entre perceber e não-perceber, e não entre certo e errado. Segundo Mauro Pennafort "toda a informação que chega ao nosso cérebro é comparada com a informação anterior e o sistema nervoso automaticamente procura adequar os novos dados aos padrões já registrados.
Por isso quanto mais você sabe, mais consegue aprender. E por isso também as pessoas que pensam que já  sabem demais têm dificuldade para aprender coisas novas. 
Pennafort  diz que "Carl G. Jung estudou as diferenças de percepção de uma mesma situação para pessoas com históricos de vida diferentes e chegou ao famoso princípio que é também um dos pressupostos mais importantes da programação neurolinguística: "percepção é projeção".Ou, como disse Anais Nin, não percebemos as coisas como são, vemos as coisas como somos"

Soares Felipe comentando sobre essa colocação de Zemmmerberg ,diz  que  "Nossos olhos não vêem nada. Quem vê é o cérebro.O ambiente propaga frequências de luz (ou energia) e o cérebro monta "a imagem" que nós pensamos estar vendo diante os nossos próprios olhos. Mas tudo acontece no cérebro. A luz passa pela retina e somente então a imagem é processada". Maurilio Carneiro Coura acrescenta que:
" O nosso cérebro grava TUDO o que vê, ouve, sente, pensa... desde antes do parto. O Nosso cérebro é dividido em dois: físico - o que morre e vai se decompor, o não-físico, que mantém tudo aquilo que gravou durante a vida material. Confirmado por cientistas."
Em minha opinião, então, o grande desafio é alcançar um estado de consciência onde possamos obter essa plena percepção do que necessitamos para sermos felizes.  E, assim ,termos equilíbrio para buscarmos no meio aquilo que nos satisfaz promovendo saúde física e mental. Temos a tendência de evitar a dor e buscar o prazer.Mas o equilíbrio esta na busca pela verdade e na reflexão do nossos desejos.A miopia emocional pode nos desvencilhar da dor,mas nos afasta do prazer que promove felicidade.

Nesse caminho, é fundamental  ser capaz de discernir a diferença entre a dor que faz crescer da dor que impede a constituição do Ser. Há dores que destroem  os mecanismos de crescimento.É necessário se livrar dela tomando decisões assertivas. Há dores que nos fazem  crescer apesar de nos afastar do  prazer que nos paralisa a buscar o real sentido de vida.

(Ginger, 1995) diz que "O homem saudável identifica sua necessidade dominante em determinado momento (figura), escolhe 
a forma de satisfazê-las e se dispõe a atender à nova necessidade (nova figura), dando curso ao fluxo permanente de formações e dissoluções de gestalten"[1]

Partindo deste princípio podemos dizer que a subjetividade é uma dádiva, o ser é um mistério a ser desvendado.Cada um é único nesse universo,cada digital tem sua impressão própria.Nada se repete.Nenhum pensamento se origina da mesma fonte.Nenhuma experiência produz ,rigorosamente, o mesmo comportamento.Nada pode ser definido como absoluto. A nossa essência é um presente divino.Nossa identidade é uma herança eterna.Ninguém,a não ser nós mesmos, pode nos anular ou modificar enquanto indivíduo.Mas há um fenômeno que faz muita diferença  na nossa prática  diária: a
Obra de René Magritte.
" L'heureux donateur il donatore felice", (1966)
imaginação.
A imaginação é um fio que atravessa essa percepção dando sentido e orientação às    forças criativas e inovadoras.É ela que nos diferencia do outro.Como disse Tizuka Yamasaki : "O que diferencia uma pessoa de outra é o seu imaginário, a interpretação que dá aos fatos da vida"

Por isso, A busca da autenticidade é mais legítima do que a busca pela perfeição...

"Tenho aprendido com o tempo que a mediocridade é um pântano habitado por medos famintos, ávidos por devorar o brilho dos olhos e a singularidade da alma. Que grande parte daquilo em que juramos acreditar pode ser somente crença alheia que a gente não passou a limpo. Que pode haver algum conforto no acordo tácito da hipocrisia, mas ele não faz a vida cantar."Ana Jácomo

Considerando tal  reflexão considero   busca da autenticidade mais legítima do que a busca pela perfeição..."Se não tivermos um olhar atento e generoso para os nossos sentimentos, podemos passar uma jornada inteira sem entrar em contato com o que realmente nos importa. Aquilo que, de fato, nos importa, pode não importar a mais ninguém e isso não tem importância alguma. Enquanto não nos conhecermos pelo menos um pouquinho, rabiscaremos cadernos e cadernos sem escrever coisa alguma que tenha significado para nós."Ana Jácomo 

Toda vez que as tuas " imperfeições" te incomodarem ,lembre-se :não busque a perfeição.Ela não existe. Busque a plenitude e a autenticidade.Citando Friedrich Nietzsche : "Ouse conquistar a si mesmo"
Segundo RUDIO (2001) "Ser, enquanto construção pessoal, é fruto da responsabilidade assumida com relação à própria existência, na busca de mantê-la e aperfeiçoá-la; é buscar realizar-se dentro das condições de seu existir no mundo.Não-Ser é a negação de si, infidelidade para consigo mesmo e a frustração das próprias realizações pessoal.A busca pelo Parecer-Ser e Parecer-Ter, é representar papéis na busca de estima, admiração, prestigio e poder, papéis estes que não tem nada a ver com o indivíduo em questão."
Perpetuar este jogo de papéis e travessias de  superficialidade  deixamos de desenvolver meios mais eficazes de sermos  quem realmente deveríamos ser , e as máscaras vencem disparando seus  papéis mal interpretados nos deixando "á margem de nós mesmos"
Não caia nessa cilada teatral. Sabe-se que as demandas sociais são selvagens, e as exigência internalizadas ao longo da vida nos transportam para uma distância anos de luz de nós mesmos.Mas segundo Frederick Perls “Quanto mais a sociedade exige que o indivíduo corresponda aos seus conceitos e ideias, menos eficientemente ele consegue funcionar” "[2].

"Há pessoas que estão sempre preocupadas demais com a aparência, com o que os outros vão pensar a seu respeito. Estão sempre dando nomes aos sentimentos, procurando sentido em tudo o que fazem. Escolhendo antecipadamente as melhores palavras para então se pronunciar. São falsos altruístas que vivem aguardando o melhor momento. Anseiam sempre uma entrada triunfal. Passam a vida toda sem sentir alguma coisa pra valer, sem se deixar doer ou se transformar em cacos. O medo antecipa o fim e tudo acontece sempre às bordas da vida.Elas se ocupam de cultivar sentimentos líquidos e palavras miúdas. E apesar de parecerem autossuficientes, têm mais medo do que muitos de nós. Colecionam amizades interesseiras e amores desinteressados...."Camille Heloise [5]

Por isso Friedrich Nietzsche propõe uma ruptura com esse sistema mecanicista ao dizer : "espírito livre é aquele que pensa de forma diferente do que se espera dele, em virtude de sua origem, de seu meio, de sua posição e de seu ofício, ou em virtude dos pontos de vista dominantes de sua época."
Segundo Augusto Cury “ administrar as emoções é mais difícil que gerenciar uma grande empresa com milhares de funcionários . É por isso que existem muitos miseráveis morando em palácios, muitos miseráveis ganhando milhões de dólares por ano. Eles são líderes do mundo de fora, mas não são líderes do mundo de dentro. Eu já tratei de algumas das pessoas mais ricas desse país e vi muitas delas chorando dramaticamente porque eram escravos dentro de si – o único lugar onde deveriam ser livres – porque não sabiam proteger a emoção 
Por isso, é essencial essa busca pela autenticidade e liberdade de ser.Liberdade enquanto Ser aquilo que se é, e não fazer o que quiser.Para isso é necessário um trabalho árduo e uma coragem de ferro,á fim de com muita resiliência nos opor aos movimentos contrários que tentam nos fazer nos dobrar diante dessa trama de falsificação existencial. A Liberdade exige responsabilidade e enfrentamento do novo.Isso causa muita ansiedade. Por isso, para algumas pessoas, é melhor continuar ligado a situações ou pessoas que as sustentem em seu "Status Quo".No entanto, esse processo pode levar á estagnação , esterilidade emocional e profunda insatisfação pessoal.Não é bom temer o caos. É nele que podemos encontrar nossa estrela.
" A desordem é completa. O tempo arrancou qualquer certeza e a inquietação é extrema. Todos os sentimentos confortáveis do passado estão beirando o precipício e nada mais sacia como antes. Tudo nos condena ao risco, ao desconhecido. Tudo serendeu ao caos, ao espontâneo..."Marla de Queiroz 
Então, finalmente, chegou a hora de viver coisas novas,poi é nesse caos que nasce a estrela, e o desconhecido é solo de transformação. Segundo Winnicott "A liberdade é um elemento essencial, algo que faz brotar nas pessoas o que elas têm de melhor. Não obstante, temos de admitir a existência de alguns que não podem viver em liberdade porque têm medo de si mesmos e do mundo".
Se continuarmos  dentro de nosso espaço confortável desempenhando os papéis  e correspondendo a todos que desejam que você seja quem eles querem, então, não conheceremos nosso potencial criativo.Citando Fabio de Melo "De vez em quando por causa da fragilidade que existe em nós, nós pegamos alguns atalhos, vamos por eles e, de repente, descobrimos que não está valendo a pena estar lá, onde a gente está, vivendo como a gente está vivendo, e sendo quem a gente é."
Então chegou a hora de Sair do Lugar. Porque somente no encontro consigo mesmo que podemos criar algo novo. Mas infelizmente, segundo Lowen "Normalmente a pessoa não pergunta :Quem sou eu? A identidade de cada um é tida como certa.Toda pessoa traz consigo carteira documentos que servem para identificá-las....mas quando a insatisfação se transforma em desespero, e a insegurança dá lugar ao pânico o indivíduo começa a se perguntar:Quem sou eu?" [4]
Mas, não há maior recompensa  maior do que ser aquilo que se é e, ainda assim ser amado.Sabendo "Algumas pessoas irão te amar e não será porque você é engraçado,será porque eles precisam rir.Algumas pessoas vão te odiar e não será porque você é arrogante,será porque você se parece com os pais delas.As pessoas não odeiam você por quem você é,elas odeiam a parte delas que você reflete..As pessoas vão te amar,as pessoas vão te odiar,e nada disso terá nada a ver com você”[3]
Então, como disse  James Broughton :"Os únicos limites são os da sua própria visão."
Para exercitar esta busca pela autenticidade e espontaneidade eu sugiro a Oração da Gestat terapia:

“Eu faço minhas coisas, você faz as suas.Não estou neste mundo para viver de acordo com suas expectativas.E você não está neste mundo para viver de acordo com as minhas.Você é você, e eu sou eu.E se por acaso nos encontramos, é lindo.Se não, nada há a fazer.”

Termino esta reflexão com uma colocação que adoro de Carl Gustav Jung:: 

"Se não quisermos ser feitos de tolos pelas nossas ilusões devemos, pela análise cuidadosa de cada fascínio, extrair deles uma parte de nossa personalidade, e reconhecer lentamente que nos encontramos conosco mesmos repetidas vezes, em mil disfarces, no caminho da vida." 

Fonte de Referência:
[1](Ginger, 1995),In: "Mecanismos de Defesas Segundo a Gestatlt Terapia"
[2]Leia o Texto "O Prazer e a espontaneidade":http://consultoriopsicologico.weebly.com/1/post/2013/12/perda-da-espontaneidade-no-mundo-moderno.html
[3]http://consultoriopsicologico.weebly.com/1/post/2013/12/a-projeo-nas-relaes-e-suas-intercorrncias.html
[4]Alexander Lowen (O Corpo Traído, p.15)
[5]Camille Heloise ,In "ConsultorioPsicológioco " : http://consultoriopsicologico.weebly.com/2/post/2014/01/faa-mais-que-existir.html
[6] (Winnicott, In:"Conversando com os pais "
Marilyn Ferguson diz que "No fundo sabemos que o outro lado de todo o medo é a liberdade."

domingo, 22 de novembro de 2015

A Projeção nas Relações e Suas Intercorrências

Por Rosangela Brunet


conhece-te a ti mesmo” e “torna-te o que tu és”
In:" Nietzsche contra Sócrates em Ecce Homo"

Esta reflexão é uma pequena tentativa de falar sobre um fenômeno muito comum e  que se encontra presente nas relações interpessoais e afetiva.- O mecanismo de defesa chamado projeção , o qual esta presente com  muita frequência nas relações afetivas e relações interpessoais .
É muito comum casamentos, amizades e até relações profissionais fracassarem por falta de conhecimento deste mecanismo de defesa ,que em intensidade maior pode ser uma das características o  Transtorno de Personalidade Paranóide.  O indivíduo que tem a capacidade de se ouvir, se olhar e  sabe lidar com seus sentimentos tem mais possibilidade de ter uma vida mais saudável em relação ao meio social , pois ele se abre mais para o novo sem medo de se expor, pois cada experiência vivida é para ele considerada parte de uma aprendizagem, e compreende as mudanças como uma forma de crescimento pessoal.Por outro lado, aqueles que não possuem esta habilidade sofrem nas relações , pois estão sempre se sentindo ameaçados diante do que não conhecem, sempre defendidos e preparados para contra atacar.São pessoas que não se conhecem devidamente e entrar em contato com conteúdos internos aciona o mecanismo de negação e projeção, o que dificulta a percepção de mundo, estabelecendo relações tóxicas e nocivas a saúde mental.
Obviamente que todos nós estamos em processo de autoconhecimento, mas há os que fogem desse processo como "o diabo foge da cruz". Eles se fragmentam num processo de defesa e o que percebem  como ameaça negam, reprimem e projetam no outro .Muitas vezes, sentimentos e intenções e conteúdos internos  inconscientes , mas que são do próprio indivíduo , podem estar sendo atribuídas ao outro,ou seja, ele projeta no outro sentimentos ,intenções, desejos, características,  ou até comportamento que podem ser os seus .Isso chama-se projeção.
 Mas o que é essa tal projeção? Segundo Ballone GJ - Alfred Adler "Projeção é um Mecanismo de defesa do ego, é o ato de atribuir a uma outra pessoa, sentimentos ou intenções que se originam em si próprio, é denominado projeção. É um mecanismo de defesa através do qual os aspectos da personalidade de um indivíduo são deslocados de dentro deste para o meio externo. A pessoa com Projeção pode, então, lidar com sentimentos reais, mas sem admitir ou estar consciente do fato de que a ideia ou comportamento temido é dela mesma." 
A liberdade e a felicidade é um dos maiores desejos do ser humanos,mas viver isso é um desafio, pois a maior liberdade é a liberdade interior e, estas vem do autoconhecimento e com o  enfrentamento de si mesmo na relação com o outro .Não é um processo fácil,mas é fundamental, pois quando nos descobrimos nos realizamos , nosso potencial é liberado e esse é um dos maiores prazeres que o ser humano pode ter na vida- viver seu potencial até a última gota, livre para criar sua própria história e traçar seu próprio caminhar . Com muros ao nosso redor e dentro de nós não é possível ser livre para caminhar e fazer escolhas assertivas no sentido de ser feliz e realizado. Felicidade é um conceito subjetivo, não há fórmulas.Todos temos que encontrá-la dentro de nós mesmos. E nesse processo de autoconhecimento um dos maiores desafios do homem é quebrar padrões de pensamentos que os limitam e condicionam suas ações. 

 Paranoic Visage - Pintura de Salvador Dali

"Salvador Dali pintou suas obras mais famosas , provavelmente as melhores, nas décadas de 1929-39, usando o “método crítico-paranóico” que ele mesmo imaginou. Este método envolvia várias formas de associações irracionais, imagens que variavam conforme a percepção do observador, de tal maneira que um grupo de pessoas ou objetos pudesse de repente ser vista como o rosto de uma mulher, por exemplo. De acordo com Dali, esses objetos têm um mínimo de significado mecânico, mas quando os vemos a mente evoca imagens fantasmas que são os resultados de atos inconscientes. Observe com atenção a imagem acima."[8]

Lily Tomlin diz que ' Entre as drogas que alteram o pensamento, a melhor é a verdade". É, é justamente essa verdade que é tão temida por aqueles que negam, reprimem e recalcam os conteúdos que lhe causam dor, vergonha, culpa, medo, etc. .Quando falo sobre verdade quero dizer a verdade que existe dentro de nós e que precisa ser enfrentada .Isso é ser um processo extremamente delicado, lento e respeitado segundo o momento e limite de cada uma, mas deve ser enfrentado .E para que isso aconteça é necessário pensar. Mas o que é pensar?
Segundo Renato Dias Martino " O pensamento é por assim dizer, a capacitação do ‘eu’ (compreendendo o mundo interno) na ligação afetiva com o mundo (externo). O exercício do pensar só se efetiva na experiência, como já se tomou por entendido. Experiência que compreende a ação junto do outro. Depende-se do outro para se pensar Quando não se inclui o outro, o movimento mental não pode levar o nome de pensar, pois ainda conserva características imaginarias.Ainda se encontra como ilusão que só será quebrada na introdução da verdade externa. Dessa forma, sou forçado a depositar meu descrédito em qualquer tentativa de batizar como pensamento, experiências que não compreendam o outro, ou o encontro com a verdade do outro."
Pode-se se dizer,então que as dificuldades existente nas relações interpessoais e afetivas que afetam os casamentos, amizades, relações profissionais fazendo com que o indivíduo seja limitado em sua visão de mundo,ocorre justamente por não estarmos abertos para o outro.Fracassam por serem incapazes de aceitar a verdade do outro por se sentirem ameaçados no enfrentamento de si mesmo.Por isso, sempre gosto de citar esse trecho de Michel Foucault : "Precisamos resolver nossos monstros secretos, nossas feridas clandestinas, nossa insanidade oculta. Não podemos nunca esquecer que os sonhos, a motivação, o desejo de ser livre nos ajudam a superar esses monstros, vencê-los e utilizá-los como servos da nossa inteligência. Não tenha medo da dor, tenha medo de não enfrentá-la, criticá-la, usá-la." 
Se eu te perguntar :Que tipo de pensamento você tem em relação às pessoas em geral? O que você responderia? E se depois de me responder eu te perguntasse: Como esses pensamentos estão contribuindo para sua felicidade e liberdade de ser uma pessoa feliz e realizada? Esse tipo de pensamento tem te trazido sucesso pessoal,profissional,afetivo e familiar? Rollo May diz em seu Livro “Amor e Vontade” que " A liberdade é a capacidade do homem de assumir seu próprio desenvolvimento. É nossa capacidade de moldar a nós mesmos."
Dentro de todos nós há fraquezas e forças, e ambas são importantes para a consolidação do nosso desenvolvimento e crescimento pessoal Os fracassos que vivemos sempre podem ser convertidos em aprendizagem e,são nos momentos mais difíceis e nas crises que passamos é que podemos decidir se vamos crescer ou nos paralisar A superação vem nesses momentos , e se atravessamos esse mar nos tornamos pessoas mais sensíveis, amáveis, dóceis e humanas.Renato Dias Martino diz que " Não pode haver superfícies verdadeiramente belas sem compreendermos as enormes profundidades" 
Não se pode dizer que isso seja uma processo fácil,mas é um caminho de aperfeiçoamento e transformação pessoal .A resiliência se aprende dessa forma .Resistindo todas as forças internas e insistindo no caminhar sendo inteligente o suficiente para lidar com suas emoções e situações de forma adequada. Estamos nessa terra para amar e sermos amados. Isso , de verdade, é o maior anseio do ser humano , e esse amor só encontramos no outro quando estamos maduros para amar alguém. " Não tenha medo de ser fraco e nem seja orgulhoso por ser tão forte. Apenas olhe pra dentro de si mesmo e não se importe com o que os outros dizem Nunca desista e nem desperdice a chance de retornar à inocência..." [3]
Tem um trecho de Charlotte de Abraham Hicks que gosto muito que diz assim: "Algumas pessoas irão te amar e não será porque você é engraçado,será porque eles precisam rir.Algumas pessoas vão te odiar e não será porque você é arrogante,será porque você se parece com os pais delas.As pessoas não odeiam você por quem você é,elas odeiam a parte delas que você reflete..As pessoas vão te amar,as pessoas vão te odiar,e nada disso terá nada a ver com você”
Ninguém é igual a ninguém e, é necessário se conhecer para se surpreender e viver plenamente esse amor e a tão esperada felicidade. .As pessoas com esse tipo de habilidade se tornam mais tolerantes , flexíveis e vivem socialmente de forma mais saudáveis.Isso me lembra também o que Sigmund Freud disse : “quando Pedro fala de Paulo eu sei mais de Pedro do que de Paulo”. Por isso, como disse C.G.Jung " Conhecer sua própria escuridão é o melhor método de lidar com a escuridão dos outros" 
Tem uma brincadeira muito popular que diz assim:" O Ministério da Saúde adverte: O que os olhos não vêem a vida esfrega na cara..." .Não tem como fugir..É a Lei da vida: " o assunto que você ignora vai cair na prova." Segundo C.G. Jung " [...] às vezes somos tomados por estados e emoções que despertam em nós impulsos, sentimentos, pensamentos e imagens que nos parecem totalmente estranhos. Frequentemente, tais emoções são diametralmente opostas aos nossos pontos de vista ou intenções, de tal forma que dão a impressão de se tratar de manifestações de um ser com existência própria, diferente de nós.”[1]
A tendência geral dos indivíduos é de não querer ver aquilo que os ameaçam. O óbvio,muitas vezes, é ignorado,negado e considerados como não existente em casos mais graves Isso ocorre porque temos a tendência de evitar a dor , a frustração, o sofrimento e buscar somente o prazer. Mas o equilíbrio esta na busca da verdade e na reflexão dos nossos desejos; aprendendo a diferenciar fantasia e realidade ; saber a diferença entre desejo e necessidade. Os sonhos e desejos são legítimos e contribuirão para uma vida de qualidade .Mas não se engane a miopia emocional pode levar o indivíduo a insanidade. É aqui que eu quero introduzir o conceito de Transtorno de personalidade paranoide e o perigo das distorções da realidade.      
Segundo CID-10 /F60.0 " Trata-se de distúrbios graves da constituição caracterológica e das tendências comportamentais do indivíduo, não diretamente imputáveis a uma doença, lesão ou outra afecção cerebral ou a um outro transtorno psiquiátrico. Estes distúrbios compreendem habitualmente vários elementos da personalidade, acompanham-se em geral de angústia pessoal e desorganização social; aparecem habitualmente durante a infância ou a adolescência e persistem de modo duradouro na idade adulta.A Personalidade paranoica é transtorno da personalidade caracterizado por uma sensibilidade excessiva face às contrariedades, recusa de perdoar os insultos, caráter desconfiado, tendência a distorcer os fatos interpretando as ações imparciais ou amigáveis dos outros como hostis ou de desprezo; suspeitas recidivantes, injustificadas, a respeito da fidelidade sexual do esposo ou do parceiro sexual; e um sentimento combativo e obstinado de seus próprios direitos." [4}
Esse transtorno da personalidade pode ser caracterizado também pela recusa de contatos sociais, afetivos ou outros, preferem a fantasia, atividades solitárias e a reserva introspectiva.É nesse viés que eu relaciono a necessidade do enfrentamento da verdade com este transtorno, pois ele esta diretamente ligado a problemas de percepção da realidade interna e externa .Pessoas com este transtorno suspeitam e desconfiam de todos .Veja estas características

1. Suspeitas infundadas de que outros o exploram, prejudicam ou enganam;
2. Atormenta-se com dúvidas injustificadas sobre a lealdade ou confiança de amigos ou sócios;
3. É relutante em confidenciar por medo injustificado de que as informações possam ser usadas contra ele;
4. Vê atitudes dissimuladas ou significados ameaçadores em comentários ou acontecimentos inofensivos;
5. 5. Mantém uma má vontade persistente (não perdoa insultos, injúrias ou desfeitas);
6. Percebe ataques ao seu carácter ou reputação que não são aparentes aos outros, sendo rápido a reagir com ira ou a contra-atacar;
7. Desconfianças injustificadas e recorrentes sobre fidelidade do conjugue ou companheiro.
Sente-se constantemente vigilante. Confiar nos outros é uma tarefa muito difícil. Há que questionar acerca dos motivos que levam os outros a aproximarem-se de si. Afinal, pode acreditar que as pessoas sendo maldosas e enganadoras, atacarão se tiverem oportunidade, e nesse sentido, há que estar sempre “de guarda”. Ao suspeitar com frequência que os outros o(a) exploram, prejudicam e enganam, esquecer ou aceitar de ânimo leve uma traição é particularmente raro.[7]
Para entender isso melhor veja o texto de Ballone sobe a formação de conceito:
"As operações intelectuais se classificam em conceitos, juízos e raciocínio. A atividade sensorial capta infinitas impressões provenientes dos estímulos do mundo exterior, os quais deixam a marca de sua passagem na consciência. Para que essas marcas do mundo exterior possam retornar novamente à consciência ou se cristalizem melhor é necessário que se estabeleçam conexões com representações experimentadas anteriormente, frutos de nossa experiência sensorial depositadas em alguma parte do cérebro.
Então, toda vez que um estímulo primário é assim intensificado de forma adequada, ele adquire nitidez indispensável para se tornar consciente, determinando desse modo a compreensão do seu conteúdo. Dessa forma, a melhor compreensão do objeto estaria na dependência do número de representações despertadas pelo ato perceptivo, o qual está sempre a reforçar o registro da vivência.
A sucessão de repetições das experiências sensoriais durante a vida faz com que as representações vão se tornando mais complexas, variando de indivíduo a indivíduo. Paulatinamente a pessoa passa a ter maior consciência de sua existência e, desse modo, surge a ideação humana, que consiste numa função psíquica onde se sucedem, primeiramente a percepção, seguida pela fixação na memória e, posteriormente, a elaboração e associação das impressões registradas pela consciência.
De maneira continuadamente dinâmica, tudo isso se associa aos elementos anteriores de nossa experiência formando, numa primeira fase, os conceitos concretos e, posteriormente, os conceitos abstratos das coisas. Esse processo todo leva à formação de conceitos, de juízos e do pensamento racional(...)Os conceitos podem apresentar alterações em quase todos os transtornos mentais e são mais bizarros nos estados psicóticos. Nesses casos, verificam-se fenômenos de desintegração e condensação dos conceitos e a própria transformação das relações conceptuais.
Como vimos acima, a semiologia das alterações dos conceitos se faz, principalmente, através do exame da linguagem ou das palavras do paciente. Também será através do discurso do paciente que veremos a quantas anda seu pensamento. A ocorrência de um neologismo, por exemplo, pode representar uma alteração conceptual, já que as palavras servem para simbolizar e representar conceitos. Tendo em vista a utilização dos conceitos para elaboração do pensamento, podemos dizer ainda que as alterações dos conceitos podem proporcionar alterações do pensamento[5]
Os conceitos começam a se formar na infância e se expressarão através das linguagens, seja verbal ou não-verbal e esse processo se da apreensão do mundo que o rodeia gerando ideias, raciocínios, pensamentos, ideologias, e até mesmo as teorias científicas serão atingidas por esta semente .A falha na aprendizagem em famílias desfuncionais produzem na criança uma visão de mundo distorcida.A apreensão do mundo vai acontecendo pela associação de ideias, condicionamentos, modelos familiares e referências significativas. A memória vai sendo um reservatório de registros dessas apreensões, e quanto mais dolorosas elas forem mais se tornará difícil resgatá-las na fase adulta.Os símbolos vãos sendo formados ao longo deste processo .A palavra é o primeiro símbolo adquirido pela criança. Segundo Piaget e Vigotsky, "desde pequenos tendemos a perceber uma palavra como um atributo inseparável do objeto "
As palavras possuem três funções: símbolo , atributos, objetos , mas a função de símbolo é o que mais exemplifica as distorções na percepção do mundo.O significado que damos a um objeto ou a uma situação apreendida é o que ficará registradona memória e a Representações da Realidade vão sendo construídas e habitando no mundo psíquico de forma consciente ou não justamente em função das percepções que vão sendo adquirida pela experiência desse indivíduo .Um objeto ou uma situação que possui uma representação simbólica para ele vai definir sua forma de pensar , de enxergar a vida são reais e efetivas para ele e, consequentemente delimitará sua forma de conduzir sua vida . A cultura , e educação, o meio familiar , seu temperamento são varáveis importantíssimas a serem levadas em conta também nesse processo.Por isso, o pensamento é tão essencial na desconstrução dos limites para a formação de um sujeito livre e capaz de lidar com seu meio social .O desenvolvimento saudável do ser humano esta diretamente ligado a formação de conceitos e consequentemente ao processo de pensar 
"Os conceitos representam o significante, as palavras, por outro lado, são símbolos e representam o significado."[5] 
E nesse processo as abstrações se tornarão um poderoso referencial que poderá ser um limitador ou um ativador de saúde mental . Minha tentativa de discutir este tema não tem a pretensão de esgotar o tema,pois as distorções de percepções podem diferenciar em escalas desde a mais simples ás mais insanas. Minha intenção não é aprofundar o tema sobre o Transtorno de Personalidade Paranoide ,mas apenas alertar a relação existente entre a necessidade de se investir no processo de pensar através da relação como outro em busca da verdade de si mesmo .Pois, segundo Guilherme Rubino " O Transtorno de Personalidade Paranóide é de tratamento bastante difícil (GABBARD, 1992). Os pacientes por vezes se recusam a aderir a psicoterapia pela desconfiança, relutância em informar sobre sua intimidade e porque não admitem sua doença, tanto que normalmente são trazidos por familiares (GABBARD, 1992; GUNDERSON & PHILLIPS, 1995). Entretanto, a psicoterapia dirigida, baseada em relação de confiança, é a base do tratamento, e a franqueza é de longe a melhor política frente a esses pacientes (GABBARD, 1992; GUNDERSON & PHILLIPS, 1995). A prevenção da violência nesses pacientes é outra dificuldade (GABBARD, 1995). O terapeuta, nesse sentido, deve sempre ajudar o paciente a não se sentir humilhado; deve evitar levantar ainda mais suspeitas; ajudar o paciente a manter seu senso de controle, encorajando-o a verbalizar ao invés de atuar com violência; dar espaço para o paciente relaxar; manter-se sintonizado com a contra-transferência (FELTHOUS, 1984; GABBARD, 1992) .[6]
Considerando tais premissas , acredito que as leis da vida existem para serem respeitadas e não podem ser negada e ignoradas. O que você evita hoje vai se repetir amanha, e amanhã e manhã..É aquele momento em que você se da conta de que esta andando em círculo. A verdade temida fica te espremendo num canto e você apanha da vida até que você decida sair do lugar e se perguntar : O que é que você está fazendo aqui? O Transtorno de Personalidade Paranoide é uma distorção da percepção em grande escala e necessita de tratamento psicológico .No entanto, a minha intenção aqui é a reflexão no sentido de prevenção e alerta sobre a importância do autoconhecimento , e da disposição de se abrir no encontro com o outro pois, ai a verdade emerge , o crescimento surge e o perigo de se evoluir para comportamentos insanos diminuem . Obviamente todos nós necessitamos que nesse encontro haja segurança suficiente para que possamos ser transparentes diante de alguém , que te aceite como você é. Aos pais e educadores a infância deve ser um momento de grande investimentos de amor e aceitação incondicional. Mas a para nós , adultos , o investimento é na abertura para viver novas experiências e disposição de estarmos aberto para sermos continentes , um lugar de acolhimento onde o outro esqueça seus medos, descanse de seus fardos da solidão e, repouse segura sua escuridão. Renato Dias Martino diz que " Conhecer a si mesmo depende diretamente da capacidade de amar o outro.”
Mas esse caminho passa pelo autoconhecimento, pela relação com o outro e pela disposição e coragem de enfrentamento daquilo que tememos ver em nós..Em alguns casos mais graves isso não pode ocorrer sem a intervenção de um profissional capacitado.
Deixo para vocês uma obra de Salvador Dali e um texto de Isabel Saij para reflexão


  O rosto como paisagem - Salvador Dali, El Gran Paranoico, 1936
"Desfazer o rosto não é um trabalho pequeno. Se o rosto é político, desfazê-lo também é uma política. Não podemos lutar contra o rosto e contra a máquina abstrata de "visageieté". É preciso lutar com esses elementos e inventar um novo uso para eles.É somente no buraco negro da consciência e da paixão subjetivas, onde cada um se conecte aos espaços desconhecidos do outro, sem lá entrar nem conquistar que podemos desmontar esse sistema... Há necessidade da disponibilidade intelectual de cabeças pensantes que capacitem a máquina abstrata de "visageité" para um funcionamento diferente, iniciando-se assim um ano zero, mas para isso é preciso romper com os códigos anteriores.
Estaremos mesmo perdidos num labirinto sem saída * ou resta alguma esperança?Um outro Autor francês, Jean Duvignaud, afirmou:"A criação artística é uma aposta sobre a capacidade da espécie humana para inventar novos tipos de relações e para viver emoções ainda desconhecidas" [9]                       


REFERÊNCIAS:
[1]JUNG,Carl Gustav . Emma - in Animus e Anima
[2] Rosangela Brunet, in: Projeção e Sombra:http://contruindooser.blogspot.com.br/2013/05/algumas-pessoas-irao-te-amar-e-nao-sera.html
]3] Tradução modificada de Enigma in Return To Innocence:
[4] CID-0 http://www.datasus.gov.br/cid10/V2008/WebHelp/f60_f69.htm
[5]Ballone GJ - Conceitos e Realidade - in. PsiqWeb, Internet, disponível emwww.psiqweb.med.br, revisto em 2008
[6]Guilherme Rubino de Azevedo Focchi
Psiquiatra - Médico Colaborador do Instituto de Psiquiatria da Faculdadede Medicina da Universidade de São Paulo. ,In: Transtorno de personalidade paranóide. Uma revisão.

[7] Oficina de Psicologia http://oficinadepsicologia.com/ 

sábado, 21 de novembro de 2015

Rio de Janeiro: Outros Olhares

 Fotografia de L. Correa

Mariana Tavares

Mosteiro de Santo Antônio Largo da carioca. RJ. Luiz Ribeiro


Fotografia de Rosangela Brunet
Praia de Ipanema
Fotografia de Rosangela Brunet
Praia de Ipanema
Danilo Paiva 


Isso foi no Dia Mundial da Visão uma projeção no Cristo Redentor chamada de Olho vivo
Fabio Seixo

Fabio Valentte Barra Quebra MAr

Foto Sandro Vox dia abfado no Rio de Janeiro

Ilha do  Farol Cabo Frio Achilles Pegalidis

Fotografia de Rosangela Brunet
Vista Chinesa

@pedroadamatta
AD
 Fotografia de Rosangela Brunet
Endereço: 1310 - Estr. da Vista Chinesa, 1294 - Alto da Boa Vista, Rio de Janeiro - RJ

Ana Catarina

Búzios Cristina Belém

Carla Santos

Fotografia de Rosangela Brunet
  Alto da Boa Vista, Rio de Janeiro - RJ


ciclovia da Niemeyer Mirante

Fabio Minduim

Luiz Alberto Maron Vieira 

Danilo Paiva Prainha
Fotografia de Rosangela Brunet
Av.Atlântica-Copacabana

Ricardo Varella


Fotografia Rosangela Brunet
Praça Aquidauana.Subúrbio do Rio de Janeiro

Ruy Barros

Sandro Vox

Thiago Larah

Thiago Larah

Thiago Lontra 

Danilo Paiva 

Danilo Paiva

Fonte das Fotografias : Fan Page "Sou do Rio ": https://www.facebook.com/macacadacarioca/

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

A Espontaneidade no Mundo Moderno

Por Rosangela Brunet


O presente artigo tem como objetivo refletir sobre essa perda de vitalidade e espontaneidade no homem moderno, pois este fenômeno tem causado impacto na sua vida cotidiana, proporcionando uma falsa noção de prazer e liberdade.Quando falo de espontaneidade me refiro a perda de um viver no mundo que ultrapassa as vertentes da superficialidade. Espontaneidade é a capacidade de viver equilibrado e em harmonia consigo mesmo e com o mundo.



O homem moderno vive num baixo grau de vitalidade.Ele acha que o tempo para diversão ,prazer,crescimento e aprendizagem é a infância e a juventude, e abdica da vida espontânea quando atinge a maturidade. Parece haver perdido toda capacidade de sentir e de se expressar direta e criativamente. Ele é muito bom falando em problemas, mas pouco sabe lidar com eles.  Reduziu a vida a uma série de exercícios verbais e intelectuais. Pouco sabe da verdadeira vida criativa. Fritz Perls [1]


Charlie Spear Roda Gigante

O Homem moderno é um indivíduo preso às demandas sociais.Ele não aprendeu a ser espontâneo .Ele pouco saber o que realmente é importante para ele. Perdeu a capacidade de percepção acurada..Não sabe diferenciar necessidade , desejo e sonho. Investe pouca energia na ação espontânea e a substitui pelos apelos consumistas .Sua energia esta mais voltada para a fantasia do que para a realidade.se distanciou do contato com o outro e se paralisou em seu mundo interior .Não põe mais o pé no chão, não brinca mais de Pique-esconde.Não senta para conversar.é um homem sofisticado dentro de uma prisão

O homem tem medo de sua espontaneidade. Seus antepassados da selva temiam o fogo: temeram o fogo até que aprenderam a acendê-lo. Do mesmo modo, o homem temerá viver apelando à sua espontaneidade até que aprenda a provocá-la e a educá-la."Jacob Levy Moreno


Ao longo da vida, o adulto vai perdendo a capacidade de perceber o mundo na medida em que os sentidos começam a serrem comprometidos. E, essa impossibilidade de uma percepção acurada do meio externo e de si mesmo esta diretamente ligada a falta de espontaneidade . O individuo que foi se socializando vai tentado se equilibrar entre seus desejos,necessidades e as demandas sociais .O grande desafio do homem moderno é encontrar esse equilíbrio entre a satisfação de suas necessidade e as demandas sócias.
Carl G. Jung (1980, p.g. 20) disse: "O excesso de animalidade deforma o homem cultural; mas o excesso de cultura cria animais doentes.” 
Não podemos viver somente em função de nossos instintos,mas também nos tornamos doente se negamos aquilo que somos em prol das demandas sociais.Precisamos funcionar de forma equilibrada para que não nos tornemos animais irracionais, e nem pessoas adoecidas e incapazes de exercer sua função no mundo
A sociedade e a cultura são variáveis que precisam ser levadas em conta neste processo de reflexão.Os hábitos adquiridos e a aprendizagem social podem servir como "hipnose cultural", e se tornar um perigo para a auto realização ,integração e satisfação de uma pessoa. Se não estivermos atentos, seremos como robôs comandados e destituídos da capacidade de pensar. 
Levando em conta que o indivíduo existe em função do seu meio, a capacidade de fazer contato e fuga em relação a esse meio é outro fator essencial e determinante de sua saúde mental. A modernidade afastou o indivíduo do contato consigo mesmo e super valorizou o contato com o meio .E, isso infringe a lei da natureza, pois segundo Jung o homem dever viver de forma dinâmica e harmonizada entre o movimento de reclusão e expansão. Viver tempo demais em expansão ou em reclusão é um sinal de perigo no que se refere a saúde mental. Por isso, Fritz Perl diz que “Nem todo contato é saudável, e nem toda figa é doentia.” 
A fuga nem sempre é um sintoma neurótico. Há um fenômeno necessário para a saúde mental: o processo de expansão e recolhimento . A primavera chega depois que o inverno se foi . A noite existe para dar lugar ao dia.Assim também , uma pessoa precisa saber a hora de estar em contato com o meio e consigo mesmo. Este individuou deve se responsabilizar pela busca e pela escolha do objeto que o satisfaça ou que o afaste da dor. Se o indivíduo não consegue encontrar no meio este objeto de desejo adequado ou de alívio, se ele leva tempo para discernir o tempo adequado que deve estar em contato com o meio , e o tempo certo de sair de perto de alguma situação que o ameace é sinal de este indivíduo esta num processo de auto-regulação comprometido.A fuga é um processo que requer três pergunta s para se saber se ela é patológica ou não: Fuga de quê, para quê e por quanto tempo.
O contato com o meio ou com algum objeto , por si só ,não é bom nem mau.O tempo , a razão e o tipo de objeto é que vai determinar se o contato é saudável ou não.
Segundo Fritz Perls se o indivíduo “não pode decidir por si mesmo quando participar e quando fugir porque todas as suas vivências inacabadas de sua vida, todas as interrupções do processo contínuo, perturbaram seu sentido de orientação e ele não é mais capaz de distinguir entre objeto ou pessoas do meio que tenha uma catexis positiva e os que tem uma catexis negativa ;não sabe como ou do que fugir.Perdeu a liberdade de escolha, não pode selecionar meios apropriados para sues objetivos fiais porque não tem a capacidade de ver opções que lhes estão abertas.” 
Por isso, a criança é o modelo mais próximo de referência que posso utilizar, pois ela possui esta capacidade de reconhecer no meio o que deseja,apesar do seu pouco conhecimento, e isso prova que conhecimento não significa que o sujeito possa ser pleno e realidade enquanto sujeito. Dizer que aquisição de conhecimento é condição para felicidade é uma lego engano, pois vemos casos em que muitos intelectuais não sabem obter satisfação e nem se sentem realizados enquanto pessoas. Isso não é uma apologia a ignorância,mas sim uma tentativa de estimular a aquisição de outras formas de riquezas, além do conhecimento. Uma pessoa pode saber muitas coisas e não saber sobre si mesma , e consequentemente não estar habilitado a intervir no mundo de forma eficaz. Por isso, a espontaneidade é essa harmonia, equilíbrio e liberdade de ser quem se é. É como se o indivíduo resgatasse a criança interior esquecida pelas travessias sociais, mas agora tivesse o recurso da maturidade sábia ao seu favor. É quando os sentimentos, as percepções e as sensações mais legítimas estivesse m voltando a viver dentro do indivíduo.E nesta jornada de amadurecimento o processo de individuação é uma das riquezas que cada indivíduo deveria buscar. É quando começamos a tomar consciência de si mesmo e reeditar os pensamento limitadores.Se torna, então ,imperativo repensar cada ação relacionada a estes pensamentos, e observar quais são os hábitos gerados por estas limitações responsáveis pelo bloqueio mental, emocional e comportamental.
Os pensamentos são construídos através da experiência e da aprendizagem ,as quais são responsáveis de moldar nossa forma de pensar, e isso se inicia com os nossos sentidos. Apreendemos o mundo pelos sentidos. E, é por esse canal que também poderemos nos comprometer. Os padrões de pensamentos são responsáveis pelos hábitos que construímos ao longo da vida. Estes hábitos, dependendo da intensidade , frequência e direção podem se tornar saudáveis ou não.
Todos nós temos o poder de dirigir o filme da nossa vida e nos tornarmos o personagem principal. Ser Sujeito do processo. Ser condutor de nós mesmos. Quando esta película se torna indesejável e destrutiva é hora de mudar estes padrões e mexer neste cenário. 
Resgatar a espontaneidade é como uma espécie de "engenharia reversa" de todo pensamento limitador. Neste processo o indivíduo precisa refletir e rever seu perfil e suas ações responsáveis por todo bloqueio mental, emocional e comportamental relacionados com o grau de "hipnose cultural" adquirido ao longo da vida.É um despertar e uma expansão de consciência, gerando mudança dos padrões de pensamentos, emoções e ações,as quais são responsáveis por hábitos que construímos ao longo da vida.
"Para ser autêntico e espontâneo é preciso coragem,pois vivemos em um universo onde expressões de visão individual representativa do que é subjetivo não são bem vindas .A sociedade ,embebida em pensamento egoísta e na luta pela sobrevivência procura objetivo, o tangível, o certo, o seguro”( G.Sliker,1992,p ag.111)
Há indivíduos cuja vida interior é intensa, confusa, cheia de perguntas sem respostas .Estão perdidos, não sabem o que procurar e nem mesmo sabem onde chegar. Uns perderam o dinheiro, por falta de controle desperdiçando suas oportunidades; outras ficaram no meio do caminho na jornada da vida e desistiram de amar Muitas pessoas constroem suas vidas em função dos outro , tentando agradá-los em troca de atenção, afeto e amor.A solidão invadiu os condomínios, e ainda que muitos se finjam felizes, são apenas personagens atuando num cenário que pode estar prestes a desabar. 
Vemos casos onde pessoas vivendo sem paixão, desanimadas e desmotivadas.Resultado de um padrão de vida confortável e "seguro ,mas sem movimento e sem criatividade e sem prazer.O fato de se ter dinheiro e estabilidade não é garantia de uma vida feliz.
“Sem a consciência (de nossos) potenciais, limitações e das(nossas)necessidades , a liberdade é um conceito ilusório. Essa é a razão de encontrarmos, nos dias de hoje, tanto falatório sobre a liberdade, e tanta compulsividade e instinto gregário e falta de liberdade, conseqüências da negligência em relação à necessidade"providencial" inata, à necessidade de "individuação", que exige nos tornarmos aquilo que somos "destinados a ser"(E. Whitmont ,In "A Busca do Símbolo")
Felicidade .liberdade e prazer estão intimamente ligados ao nosso "Eu Verdadeiro",onde habita a fonte da alegria e da paz . A felicidade legítima não esta no que compramos ou nas relações externas .A felicidade e a vida esta dentro de nós .É necessário se comprometer em resgatar essa vida que foi sufocada e perdida ao longo do tempo. Sempre é tempo para viver com plenitude. Sigmund Freud diz que :"quando a dor de não se estar vivendo for maior do que o medo da mudança, a pessoa muda... "
Então somos adultos.Quando isso aconteceu?!?
Como podemos parar? A gente cresce, fica alto, mais velho... Mas, na maioria dos casos, a gente ainda é um bando de crianças correndo no parquinho desesperados para entrar num grupo."Greys Anatomy
Este trecho retrata o discurso de quem perdeu a espontaneidade e vive desconectado de suas necessidades legítimas, e muitas vezes não tem energia pra corresponder as demandas da sociedade. Por isso, falham em suas tentativas , e em suas buscas. 
Esta citação do seriado Grey's Anatomy traduz o valor de estarmos sempre em contato com nossa criança interior. O homem modernos perdeu esta capacidade de viver de forma espontânea. Ele vive num ritmo frenético que o impede de desfrutar os prazeres essenciais da vida produzindo estresse, ansiedade e depressão. 
Vladimir Volegov
Os sentimentos, as percepções e as sensações mais legítimas estão arquivadas esperando serem resgatas . É necessário lembrar que o legítimo prazer provém da Realização do Potencial interior, e para isso e realizar este potencial é fundamental para ser feliz e sentir prazer.. Segundo Schutz "O prazer é o sentimento que provém da realização do nosso potencial .A realização traz ao indivíduo o sentimento de que pode defrontar-se com seu meio ambiente; o sentimento de autoconfiança, de ser uma pessoa importante,competente e amorável ,capaz de manejar as situações á medida que surgem, de usar plenamente suas próprias capacidades de ser livre para expressar seu sentimentos. O prazer requer um corpo energético e vivo,auto satisfação, relações produtivas e satisfatórias com os outros e uma relação bem sucedida com a sociedade" [2]

Os sentidos da criança são mais aguçados, e estão aberto a estímulos que promovem uma percepção do mundo mais acurada, propiciando uma maior capacidade de extrair do meio aquilo que ela necessita para se satisfazer.Tendo esta consciência de si mesma e do mundo mais aberta, ela sabe o que quer e por conseguinte pode ir ao meio e fazer escolhas mais acertadas.
Há tanta beleza no simples. Num simples sorriso, no olhar de quem te ama. Tanta riqueza, tanto poder no que não se compra, no que é realmente teu. Sabe o que de fato te pertence? O que o amor fez brotar em ti. O resto é poeira, mesmo que tenha custado todo o teu dinheiro."Gi Stadnicki
A correria da vida, as exigências do trabalho, as necessidades de sobrevivências, o grupo em que vivemos, a cultura que nos influencia, a família que pertencemos, tudo isso vai determinar a qualidade dessa apreensão. Augusto Cury disse : Bons pais corrigem o erro, pais brilhantes ensinam seus filhos a pensar” Esse é o grande desafio da educação , tanto na escola quanto na família.
O homem moderno foi perdendo ao longo do tempo esta acuidade de percepção e substituindo suas escolhas por objetos impostos pelo consumismo e pela praticidade. O fast-food substitui o almoço entre amigos, o celular tomou o lugar daquele bate bate papo na esquina...e por ai vai. A Expansão da consciência é uma necessidade fundamental ,pois gera mudança de padrões de pensamentos, resgata a espontaneidade e faz o indivíduo entrar em contato com suas emoções possibilitando a tomada de decisões com ações mais assertivas,e consequentemente, os hábitos vão sendo reprogramados ao longo desse despertar.
O início do processo de resgate da espontaneidade é conhecer a si mesmo: conhecer nossas potencialidade, nossas reais necessidades, nossos sonhos e desejos relacionado com as possibilidades reais de executá-los.A gente precisa aprender a ser autêntico, espontâneo; precisamos parar de querer ser o que os outros esperam de nós, se encaixar em papéis que não são nossos,mas sim exigências sociais que nem sempre nos cabe como indivíduo.Nunca podemos esquecer.Somos únicos e temos uma só digita. Nesse caminho será mais fácil de ser produtivo,pois a energia será resgatada,pois você agora a usará para uma produção espontânea e não para uma maquiagem social. Com isso, sua paixão voltará,pois você estará fazendo o que te da prazer, e o entusiasmo e vigor será parte de sua vida.
Neste processo de despertamento você poderá viver no mundo sem seguir suas "matrizes" hipnotizantes , sem mergulhar nas ilusões consumistas e alienantes da sociedade materialista,consumista e direcionada a anular a criatividade das pessoas.
É importante sinalizar que viver nesta emanação espontânea de existência não significa não ter problemas .Significa que você estará mais inteiro e mais apto a enfrentá-los.Significa que agora você esta mais livre de bloqueios que te impediam de encontrar soluções.Que agora as paredes imaginárias na sua mente caíram ao seu redor e os monstros que te assustavam diminuíram.Agora você fica com medo, mas você vai, você confia na sua capacidade e tem ânimo de estar sempre experimentando novas possibilidades.
A educação tem sido sacrificada pela correria da vida e pelas demandas financeiras. É a escola que tem que lucrar e ter mais alunos, sejam os pais que precisam trabalhar para melhor fornecer “educação” aos seus filhos. O fato é que não há tempo e disposição de pagar este preço.Com isso, a experiência que as crianças vão adquirindo ao longo de sua vida é construída á partir de padrões materialistas ,pobres e voltados ao imediatismo utilitário da cultura do excesso.Luta-se por ter, e não por ser, os padrões de pensamentos vão sendo construídos e limitando a capacidade do indivíduo de ser feliz, pleno,satisfeito e livre.
Os padrões de pensamentos são responsáveis pelos hábitos que construímos ao longo da vida. Estes hábitos, dependendo da intensidade , frequência e direção podem se tornar saudáveis ou não. Temos o poder de dirigir o filme da nossa vida também como personagem principal.Ser Sujeito do processo. Quando esta película se torna indesejável e destrutiva é hora de mudar estes padrões e mexer neste cenário.Resgatar a espontaneidade é como uma espécie de "engenharia reversa" de todo pensamento limitador. Neste processo o indivíduo precisa refletir e rever seu perfil e suas ações responsáveis por todo bloqueio mental, emocional e comportamental relacionados com o grau de "hipnose cultural" adquirido ao longo da vida..A "hipnose cultural " produz este fenômeno de pessoas vagando como se fossem apenas cabeças automatizadas andando descoladas de seus corpos, vivendo distantes em direção às expectativas criadas por seu ideal de felicidade imposto por uma cultura voltada para o consumismo.
É importante sinalizar que viver nesta emanação espontânea de existência não significa não ter problemas .Significa que você estará mais inteiro e mais apto a enfrentá-los.Significa que agora você esta mais livre de bloqueios que te impediam de encontrar soluções.Que agora as paredes imaginárias na sua mente caíram ao seu redor e os monstros que te assustavam diminuíram.Agora você fica com medo, mas você vai, você confia na sua capacidade e tem ânimo de estar sempre experimentando novas possibilidades.
Contudo, o fato de ter paixão, dinheiro ,estabilidade não é garantia de uma vida feliz. O que realmente a gente precisa é conhecer a si mesmo, nossas potencialidade, nossas reais necessidades, nossos sonhos e desejos relacionado com as possibilidades reais de executá-los.A gente precisa aprender a ser autêntico, espontâneo; precisamos parar de quer ser o que os outros esperam de nós, se encaixar em papéis que não são nossos,mas sim exigências sociais que nem sempre nos cabe como indivíduo.Nunca podemos esquecer.Somos únicos e temos uma só digital. Nesse caminho será mais fácil de ser produtivo,pois a energia será resgatada e redirecionada para o objeto de real satisfação ,pois você agora a usará para uma produção espontânea e não para uma maquiagem social.
Com isso, sua paixão voltará,pois você estará fazendo o que te da prazer, e o entusiasmo e vigor será parte de sua vida.
Neste processo de despertamento você poderá viver no mundo sem seguir suas "matrizes" hipnotizantes , sem mergulhar nas ilusões consumistas e alienantes da sociedade materialista,consumista e direcionada a anular a criatividade das pessoas.
Bianca Pinheiro nos apresenta um projeto chamado "Pequenas Satisfações Humanas", o qual ilustra o quanto é prazeroso viver no aqui e agora desfrutando das pequenas coisas . As pessoas que conseguem parar para apreciar a simplicidade da vida podem ser mais felizes. Bianca se utiliza da arte em tirinhas para falar sobre esses prazeres humanos simples e bastante subjetivo que fomos perdendo ao ficarmo engessados e distantes da nós mesmos.
"Passar cotonete no ouvido, espirrar, sentar em cima das mãos durante os dias frios, tirar um cochilo revigorador, escutar sua música favorita quando você menos espera, estourar plástico bolha… ! São momentos que nos fazem sentir aquela pontinha de satisfação que, mesmo vindo de coisas pequenas e tidas como insignificantes por alguns, acabam fazendo com que um sorriso discreto tome lugar nas nossas faces(...)você irá se identificar com as ilustrações...” 

Em seu artigo, Luiz Carlos Garrocho que "A infância tornou-se, em determinados momentos históricos e em alguns contextos sociais, detentora da memória lúdica humana. Ela conquistou essa memória porque os adultos estavam por demais ocupados com a produção e a reprodução da vida. Além de serem depositárias de uma memória que os adultos não podem, nas sociedades industriais, exercitá-la, as crianças reinventam a história humana. Inventam o tempo em que os seres humanos se envolviam corporalmente com o mundo. A
criança 

fabrica o sentido e explora os sentidos antes de ficar memorizando abstrações. Entra em contato com a terra, deixando-a deslizar pelas mãos, sentindo o seu escoamento até fazer um filete comprido.Muitos artistas continuam fazendo o mesmo , e por isso eles guardam uma estranha e aparentemente secreta sensação de felicidade e liberdade."[3]


Segundo a Teoria da Análise Transacional" na infância, a "criança é livre", é aquela que faz espontaneamente aquilo que ela quer, independentemente de regras e normas. Elas são motivadas, possuem um entusiasmo espontâneo, são criativas e independente Elas possuem esta capacidade de apreciar pequenos prazeres como brincar com a água, andar descalço, sentir o pingo da chuva caindo, colocar a mão na terra sem sentir

nojo, cair de rir sem sentir vergonha, elas fazem disso uma fonte de alegria e felicidade Com o passar do tempo o indivíduo vai perdendo esse hábito espontâneo , e se distanciando dessa criança que ainda vive dentro de,si . A criança livre que habita em cada um é a fonte de criatividade ,imaginação e alegria.A espontaneidade é justamente quando esse indivíduo resgata essa criança interior esquecida pelas travessias sociais. É quando os sentimentos, as percepções e as sensações mais legítimas estivesses voltando a viver dentro do indivíduo Segundo Ângela Magda, Denise de Souza e Mônica Neves “Se queremos matar uma ideia em sua nascente, basta criticá-la efusivamente ao ser apresentada, rir ou ridicularizá-la diante.dos demais; e se quem a apresentou não desenvolveu ainda características de personalidade como persistência, independência de pensamento, autonomia e coragem para assumir riscos (como acontece freqüentemente com a criança pequena, em estágio de desenvolvimento), teremos então a quase certeza de que seu pensamento criador, no nascedouro rico, espontâneo e divergente, passará por uma transformação radical, da qual restará apenas a rigidez, o

conformismo, a dependência de pensamento, a cópia e reprodução das idéias. " [5]
As escolas e educadores sob a influência dessa cultura sofrem com esse tipo de determinismo limitador, e podem se tornar veículos inibidores da criatividade de muitas crianças caso não estejam consciente dessa realidade.O fato é que se não tomarmos cuidado acabamos nos tornando robôs sociais. Sem autenticidade e espontaneidade suficiente para obter prazer suficiente nas coisas simples e essenciais,as quais não possuem preço,pois não estão á venda.Mas , por outro lado, é nesta simplicidade que encontraremos o prazer e a alegria dia´ria que será capaz de nos conectar ao presente e nos libertar do passado


Atualmente, apesar de termos liberdade para se expressar, para fazer e para pensar o que quisermos , temos que concordar com Sliker quando ele diz que " Para ser autêntico e espontâneo é preciso muita coragem, pois vivemos em um universo onde expressões de visão individual representativa do que é subjetivo não são bem vindas .A sociedade ,embebida em pensamento egoísta e na luta pela sobrevivência procura o objetivo, o tangível, o certo, o seguro”[3]
Por isso a arte é tão importante, pois ela facilita o resgate desta espontaneidade de várias formas. Em primeiro lugar, porque uma da técnicas utilizadas para resgatar esta espontaneidade é tomar consciência de si mesmo como objetivo de desenvolver o autoconhecimento e auto satisfação.A arte facilita isso porque os materiais utilizados pelos artistas podem servir, se bem

direcionado, para otimizar este processo.Em segundo lugar porque a espontaneidade e a criatividade esta diretamente proporcional a capacidade de conhecer e lidar com seus próprios sentimento,impulsos e instintos . (FREUD, 1910) disse: “A natureza deu ao artista a capacidade de exprimir seus impulsos mais secretos, desconhecidos até por ele próprio, por meio do trabalho que cria; e estas obras impressionam enormemente outras pessoas estranhas ao artista e que desconhecem, elas também, a origem da emoção que sentem”.E finalmente, porque as imagens contidas no inconsciente são resgatadas no fazer artísticos.
Mas você pode estar pensando :eu não sou artista,não tenho nenhuma habilidade artística Minha intenção nesta reflexão é chamar a atenção para o fato de que todos nós possuímos um artista criativo dentro de cada um, o qual se encontra reprimido e desconhecido , pois não fomos educados para desenvolver nosso cérebro em toda a sua dimensão .A espontaneidade foi comprometida pela cultura ocidental , e até mesmo, em muitos casos, totalmente anulada. Mark Rothko, um artista que muito admiro disse uma vez :" Para nós, a arte é uma aventura em um mundo desconhecido, que pode ser explorado somente por aqueles dispostos a assumir os riscos. Eu não sou um abstracionista. ... Eu não estou interessado nas relações de cor ou forma ou de outra coisa. ... Estou interessado apenas em expressar as emoções humanas ... ".
Schutz nos explica que a nossa capacidade de aprender, perceber e sentir esta num nível inconsciente e diretamente ligada ao desenvolvimento emocional.Aqui é onde a nossa "criança livre precisa ser respeitada e aperfeiçoada conforme cada cultura, mas sem anular a identidade do indivíduo e mantendo sempre a capacidade de responder as demandas sociais de forma equilibrada,ou seja, saber encontrar o equilíbrio entre o que desejo e necessito e o que a sociedade me impõe e requer de mim. Relembrando o que disse Fritz Perls , " o maior desafio do homem é encontrar este equilíbrio" , e é onde a neurose se instala nesse meio fio que vamos alinhavando ao longo na tão complexa jornada.
Enfim, o gênio criativo que esta dentro de cada um de nós tem esta capacidade:encontrar esta palavra escondida, a imagem desconhecida, o outro que nos habita.E, isso nos vem no fazer artístico através de imagem, de cores, de sons, ou materializada em argila ou movimento, cenas pintadas, sons e letras. Seja em qual for o tipo de arte, você poderá alcançar esta "palavra". Mia couto sabia o que estava falando quando se referiu a esta linguagem tão perigosa.Ele sabia que ela era transformadora e libertadora,pois tinha consciência de seu poder de conectar o homem com seu seu verdadeiro Self .
"A essência do prazer é a espontaneidade"Germaine Greer

Referências 
[1]Abordagem Gestaltica e Testemunha Ocular da Terapia.PERS,Fritz.Pag.38
[2] William C.S.Schutz In:"O Prazer"
[3][2 Por Luiz Carlos Garrocho,"O Brincar e Suas Linhas de Errância-Artes Cênicas e Educação(http://contruindooser.blogspot.com.br/2013/04/por-luiz-carlos-garrocho-o-brincar-e.html)
-http://exibircertificado.blogspot.com.br/2013/07/artistas-que-profetizam.html
[4]( G.Sliker,1992,p ag.111)

[5](E. Whitmont ,In "A Busca do Símbolo"
[6 ]TOC,TOC,Plin Plin
[7]Bianca Pinheiro,In:"PEQUENAS SATISFAÇÕES HUMANAS "http://lounge.obviousmag.org/venturarte/2013/08/pequenas-satisfacoes-humanas-em-formato-ilustrativo.html