"Opêndulo da mente se alterna entre perceber e não-perceber..." Carl Gustav Jung

Por Rosangela Brunet

"Os nossos olhos podem ver a imagem,mas é nosso cérebro que interpreta o mundo visual e gera respostas conginitivas e emocionais"
Zimmmerban, In "Neurociências em benefício da Edicação"

Carl Gustav Jung diz que "o pêndulo da mente se alterna entre perceber e não-perceber, e não entre certo e errado. Segundo Mauro Pennafort "toda a informação que chega ao nosso cérebro é comparada com a informação anterior e o sistema nervoso automaticamente procura adequar os novos dados aos padrões já registrados.
Por isso quanto mais você sabe, mais consegue aprender. E por isso também as pessoas que pensam que já  sabem demais têm dificuldade para aprender coisas novas. 
Pennafort  diz que "Carl G. Jung estudou as diferenças de percepção de uma mesma situação para pessoas com históricos de vida diferentes e chegou ao famoso princípio que é também um dos pressupostos mais importantes da programação neurolinguística: "percepção é projeção".Ou, como disse Anais Nin, não percebemos as coisas como são, vemos as coisas como somos"

Soares Felipe comentando sobre essa colocação de Zemmmerberg ,diz  que  "Nossos olhos não vêem nada. Quem vê é o cérebro.O ambiente propaga frequências de luz (ou energia) e o cérebro monta "a imagem" que nós pensamos estar vendo diante os nossos próprios olhos. Mas tudo acontece no cérebro. A luz passa pela retina e somente então a imagem é processada". Maurilio Carneiro Coura acrescenta que:
" O nosso cérebro grava TUDO o que vê, ouve, sente, pensa... desde antes do parto. O Nosso cérebro é dividido em dois: físico - o que morre e vai se decompor, o não-físico, que mantém tudo aquilo que gravou durante a vida material. Confirmado por cientistas."
Em minha opinião, então, o grande desafio é alcançar um estado de consciência onde possamos obter essa plena percepção do que necessitamos para sermos felizes.  E, assim ,termos equilíbrio para buscarmos no meio aquilo que nos satisfaz promovendo saúde física e mental. Temos a tendência de evitar a dor e buscar o prazer.Mas o equilíbrio esta na busca pela verdade e na reflexão do nossos desejos.A miopia emocional pode nos desvencilhar da dor,mas nos afasta do prazer que promove felicidade.

Nesse caminho, é fundamental  ser capaz de discernir a diferença entre a dor que faz crescer da dor que impede a constituição do Ser. Há dores que destroem  os mecanismos de crescimento.É necessário se livrar dela tomando decisões assertivas. Há dores que nos fazem  crescer apesar de nos afastar do  prazer que nos paralisa a buscar o real sentido de vida.

(Ginger, 1995) diz que "O homem saudável identifica sua necessidade dominante em determinado momento (figura), escolhe 
a forma de satisfazê-las e se dispõe a atender à nova necessidade (nova figura), dando curso ao fluxo permanente de formações e dissoluções de gestalten"[1]

Partindo deste princípio podemos dizer que a subjetividade é uma dádiva, o ser é um mistério a ser desvendado.Cada um é único nesse universo,cada digital tem sua impressão própria.Nada se repete.Nenhum pensamento se origina da mesma fonte.Nenhuma experiência produz ,rigorosamente, o mesmo comportamento.Nada pode ser definido como absoluto. A nossa essência é um presente divino.Nossa identidade é uma herança eterna.Ninguém,a não ser nós mesmos, pode nos anular ou modificar enquanto indivíduo.Mas há um fenômeno que faz muita diferença  na nossa prática  diária: a
Obra de René Magritte.
" L'heureux donateur il donatore felice", (1966)
imaginação.
A imaginação é um fio que atravessa essa percepção dando sentido e orientação às    forças criativas e inovadoras.É ela que nos diferencia do outro.Como disse Tizuka Yamasaki : "O que diferencia uma pessoa de outra é o seu imaginário, a interpretação que dá aos fatos da vida"

Por isso, A busca da autenticidade é mais legítima do que a busca pela perfeição...

"Tenho aprendido com o tempo que a mediocridade é um pântano habitado por medos famintos, ávidos por devorar o brilho dos olhos e a singularidade da alma. Que grande parte daquilo em que juramos acreditar pode ser somente crença alheia que a gente não passou a limpo. Que pode haver algum conforto no acordo tácito da hipocrisia, mas ele não faz a vida cantar."Ana Jácomo

Considerando tal  reflexão considero   busca da autenticidade mais legítima do que a busca pela perfeição..."Se não tivermos um olhar atento e generoso para os nossos sentimentos, podemos passar uma jornada inteira sem entrar em contato com o que realmente nos importa. Aquilo que, de fato, nos importa, pode não importar a mais ninguém e isso não tem importância alguma. Enquanto não nos conhecermos pelo menos um pouquinho, rabiscaremos cadernos e cadernos sem escrever coisa alguma que tenha significado para nós."Ana Jácomo 

Toda vez que as tuas " imperfeições" te incomodarem ,lembre-se :não busque a perfeição.Ela não existe. Busque a plenitude e a autenticidade.Citando Friedrich Nietzsche : "Ouse conquistar a si mesmo"
Segundo RUDIO (2001) "Ser, enquanto construção pessoal, é fruto da responsabilidade assumida com relação à própria existência, na busca de mantê-la e aperfeiçoá-la; é buscar realizar-se dentro das condições de seu existir no mundo.Não-Ser é a negação de si, infidelidade para consigo mesmo e a frustração das próprias realizações pessoal.A busca pelo Parecer-Ser e Parecer-Ter, é representar papéis na busca de estima, admiração, prestigio e poder, papéis estes que não tem nada a ver com o indivíduo em questão."
Perpetuar este jogo de papéis e travessias de  superficialidade  deixamos de desenvolver meios mais eficazes de sermos  quem realmente deveríamos ser , e as máscaras vencem disparando seus  papéis mal interpretados nos deixando "á margem de nós mesmos"
Não caia nessa cilada teatral. Sabe-se que as demandas sociais são selvagens, e as exigência internalizadas ao longo da vida nos transportam para uma distância anos de luz de nós mesmos.Mas segundo Frederick Perls “Quanto mais a sociedade exige que o indivíduo corresponda aos seus conceitos e ideias, menos eficientemente ele consegue funcionar” "[2].

"Há pessoas que estão sempre preocupadas demais com a aparência, com o que os outros vão pensar a seu respeito. Estão sempre dando nomes aos sentimentos, procurando sentido em tudo o que fazem. Escolhendo antecipadamente as melhores palavras para então se pronunciar. São falsos altruístas que vivem aguardando o melhor momento. Anseiam sempre uma entrada triunfal. Passam a vida toda sem sentir alguma coisa pra valer, sem se deixar doer ou se transformar em cacos. O medo antecipa o fim e tudo acontece sempre às bordas da vida.Elas se ocupam de cultivar sentimentos líquidos e palavras miúdas. E apesar de parecerem autossuficientes, têm mais medo do que muitos de nós. Colecionam amizades interesseiras e amores desinteressados...."Camille Heloise [5]

Por isso Friedrich Nietzsche propõe uma ruptura com esse sistema mecanicista ao dizer : "espírito livre é aquele que pensa de forma diferente do que se espera dele, em virtude de sua origem, de seu meio, de sua posição e de seu ofício, ou em virtude dos pontos de vista dominantes de sua época."
Segundo Augusto Cury “ administrar as emoções é mais difícil que gerenciar uma grande empresa com milhares de funcionários . É por isso que existem muitos miseráveis morando em palácios, muitos miseráveis ganhando milhões de dólares por ano. Eles são líderes do mundo de fora, mas não são líderes do mundo de dentro. Eu já tratei de algumas das pessoas mais ricas desse país e vi muitas delas chorando dramaticamente porque eram escravos dentro de si – o único lugar onde deveriam ser livres – porque não sabiam proteger a emoção 
Por isso, é essencial essa busca pela autenticidade e liberdade de ser.Liberdade enquanto Ser aquilo que se é, e não fazer o que quiser.Para isso é necessário um trabalho árduo e uma coragem de ferro,á fim de com muita resiliência nos opor aos movimentos contrários que tentam nos fazer nos dobrar diante dessa trama de falsificação existencial. A Liberdade exige responsabilidade e enfrentamento do novo.Isso causa muita ansiedade. Por isso, para algumas pessoas, é melhor continuar ligado a situações ou pessoas que as sustentem em seu "Status Quo".No entanto, esse processo pode levar á estagnação , esterilidade emocional e profunda insatisfação pessoal.Não é bom temer o caos. É nele que podemos encontrar nossa estrela.
" A desordem é completa. O tempo arrancou qualquer certeza e a inquietação é extrema. Todos os sentimentos confortáveis do passado estão beirando o precipício e nada mais sacia como antes. Tudo nos condena ao risco, ao desconhecido. Tudo serendeu ao caos, ao espontâneo..."Marla de Queiroz 
Então, finalmente, chegou a hora de viver coisas novas,poi é nesse caos que nasce a estrela, e o desconhecido é solo de transformação. Segundo Winnicott "A liberdade é um elemento essencial, algo que faz brotar nas pessoas o que elas têm de melhor. Não obstante, temos de admitir a existência de alguns que não podem viver em liberdade porque têm medo de si mesmos e do mundo".
Se continuarmos  dentro de nosso espaço confortável desempenhando os papéis  e correspondendo a todos que desejam que você seja quem eles querem, então, não conheceremos nosso potencial criativo.Citando Fabio de Melo "De vez em quando por causa da fragilidade que existe em nós, nós pegamos alguns atalhos, vamos por eles e, de repente, descobrimos que não está valendo a pena estar lá, onde a gente está, vivendo como a gente está vivendo, e sendo quem a gente é."
Então chegou a hora de Sair do Lugar. Porque somente no encontro consigo mesmo que podemos criar algo novo. Mas infelizmente, segundo Lowen "Normalmente a pessoa não pergunta :Quem sou eu? A identidade de cada um é tida como certa.Toda pessoa traz consigo carteira documentos que servem para identificá-las....mas quando a insatisfação se transforma em desespero, e a insegurança dá lugar ao pânico o indivíduo começa a se perguntar:Quem sou eu?" [4]
Mas, não há maior recompensa  maior do que ser aquilo que se é e, ainda assim ser amado.Sabendo "Algumas pessoas irão te amar e não será porque você é engraçado,será porque eles precisam rir.Algumas pessoas vão te odiar e não será porque você é arrogante,será porque você se parece com os pais delas.As pessoas não odeiam você por quem você é,elas odeiam a parte delas que você reflete..As pessoas vão te amar,as pessoas vão te odiar,e nada disso terá nada a ver com você”[3]
Então, como disse  James Broughton :"Os únicos limites são os da sua própria visão."
Para exercitar esta busca pela autenticidade e espontaneidade eu sugiro a Oração da Gestat terapia:

“Eu faço minhas coisas, você faz as suas.Não estou neste mundo para viver de acordo com suas expectativas.E você não está neste mundo para viver de acordo com as minhas.Você é você, e eu sou eu.E se por acaso nos encontramos, é lindo.Se não, nada há a fazer.”

Termino esta reflexão com uma colocação que adoro de Carl Gustav Jung:: 

"Se não quisermos ser feitos de tolos pelas nossas ilusões devemos, pela análise cuidadosa de cada fascínio, extrair deles uma parte de nossa personalidade, e reconhecer lentamente que nos encontramos conosco mesmos repetidas vezes, em mil disfarces, no caminho da vida." 

Fonte de Referência:
[1](Ginger, 1995),In: "Mecanismos de Defesas Segundo a Gestatlt Terapia"
[2]Leia o Texto "O Prazer e a espontaneidade":http://consultoriopsicologico.weebly.com/1/post/2013/12/perda-da-espontaneidade-no-mundo-moderno.html
[3]http://consultoriopsicologico.weebly.com/1/post/2013/12/a-projeo-nas-relaes-e-suas-intercorrncias.html
[4]Alexander Lowen (O Corpo Traído, p.15)
[5]Camille Heloise ,In "ConsultorioPsicológioco " : http://consultoriopsicologico.weebly.com/2/post/2014/01/faa-mais-que-existir.html
[6] (Winnicott, In:"Conversando com os pais "
Marilyn Ferguson diz que "No fundo sabemos que o outro lado de todo o medo é a liberdade."

Comentários