quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Eu tinha um cachorro preto, seu nome era depressão.

Por Rosangela Brunet 

Somos uma sociedade de pessoas com notória infelicidade:solidão, ansiedade, depressão, destruição, dependência; pessoas que ficam felizes quando matam o tempo que foi tão difícil conquistar.
Erich Fromm

Segundo (Kaplan, Sadock, Grebb, 1997) “ a depressão está inclusa no Bloco do CID-10 como um Transtornos de Humor(...)Essa alteração do humor é normalmente acompanhada por uma alteração no nível global de atividade e a maioria dos outros sintomas é secundária ou facilmente compreendida no contexto de tais alterações. A maioria desses transtornos tende a ser recorrente e o início dos episódios individuais é freqüentemente relacionado com eventos ou situações estressantes. Os sintomas mais comumente percebidos partem tanto de alterações fisiológicas quanto de mudanças de estados emocionais e cognitivos. (...)Os transtornos de humor constituem um grupo de condições clínicas caracterizadas pela de controle

© Fotografia de Mancini Lorenzo.
 Tous droits réservés. Exposição "Dark Feelings" 

desse humor ou das expressões afetivas e de uma experiência subjetiva de grande sofrimento”
Claudio Pfeil, um Psicanalista * abordou a depressão de uma forma bem interessante.Ele disse: “ Depressão é de-pressão: o prefixo “de” indica perda de pressão na existência. Perda de energia, de vitalidade, de desejo, de apetite, de sono, de esperança, de tempo, de prazer. No estado depressivo, a pessoa se confronta com uma falta que, em vez de ser suporte de um desejo, provoca a abdicação do desejo. Trata-se de uma falta articulada a uma perda que não consegue ser simbolizada pela linguagem. Depressão não é doença, não existe como tal: é efeito da linguagem na sua dificuldade de nomear a falta, o objeto sexual.

A identificação da depressão.

Segundo Renato Dias Martino “ Entristecer-se é fundamental na tarefa do pensar.;aquele que não encontra-se capaz disso , ou escapa para a euforia , ou mergulha na depressão" ,mas para exemplificar este quadro depressivo em sua variação de humor vejamos o caso de uma pessoa com humor elevado, a qual se torna expansiva , com fuga de idéias, sono diminuído, auto-estima elevada, e idéias grandiosas.Por outro lado, o paciente com humor deprimido possui “ perda de energia e interesse, sentimentos de culpa, dificuldade para concentrar-se; alterações nos níveis de atividade, capacidades cognitivas, linguagem e funções vegetativas (perda de peso, perda de sono, apetite, atividade sexual e outros ritmos biológicos); dificuldade para começar a realizar tarefas , dificuldade de terminar as coisas que começou; sensações crônica de tristeza (se sente triste a maior parte do dia quase todos os dias, não tem tanto prazer ou interesse pelas atividades que apreciava) ;choro sem motivo aparente ou dificuldade para chorar; dificuldade em tomar decisões, Persistência de pensamentos negativos (Pessimismo/ Sensação de que nunca vai melhorar, desesperança); pensamentos sobre morte e suicídio (Achar que não vale a pena viver; desejo de morrer. Apesar da depressão não ser uma doença potencialmente fatal, surgem pensamentos de suicídio); autocomiseração (sentimento de pena de si mesmo) , sentimentos de culpa injustificáveis, irritabilidade ou impaciência,inquietação , alterações da sensação corporal como dores e enjoos, boca ressecada e constipação
No caso dos sintomas corporais podem acontecer com alguma freqüência a sensação de desconforto no
© Mancini Lorenzo. Tous droits réservés - 1All rights reserved.1
batimento cardíaco, a constipação, dores de cabeça, dificuldades digestivas. O desaparecimento de alguns desses sintomas e/ou sensações não significa melhora do quadro, pois os mesmos não acontecem todos ao mesmo tempo. O indivíduo deprimido tem uma oscilação dos sintomas, e isso pode dar a falsa sensação de estar bem.Por isso um diagnóstico diferenciado é essencial.
Por isso, para fazer um diagnóstico eficaz é necessário levar em conta alguns sintomas específicos: Perda de energia ou interesse, Humor deprimido, Dificuldade de concentração, Alterações do apetite e do sono, Lentificação das atividades físicas e mentais(não consegue ficar parado ou pelo contrário movimenta-se mais lentamente que o habitual. ) e Sentimento de pesar ou fracasso , sentimentos inapropriados de desesperança desprezando-se como pessoa , se culpa pela doença ou pelos problemas dos outros, sentindo-se um peso para a família. É importante ressaltar que esse quadro precisa estar se repetindo durante pelo menos duas semanas para que se possa dizer que o paciente está deprimido.
Segundo o CID-10 no episódio depressivo o indivíduo perde de interesse, prazer e energia levando- o a uma fatigabilidade aumentada e atividade diminuída. Cansaço marcante após esforços leves é comum. 

Sintomas 

· Concentração e atenção reduzidas;
· auto-estima e autoconfiança reduzidas;
· idéias de culpa e inutilidade;
· visões desoladas e pessimistas do futuro
· idéias ou atos autolesivos ou suicídio;
· sono perturbado;
· apetite diminuído


Causa da Depressão

A causa exata da depressão é uma incógnita ainda,mas pode-se dizer que para este quadro esteja presente no indivíduo há o desequilíbrio bioquímico dos neurônios que são responsáveis pelo controle do humor.Há muitos estudos sobre os fatores desencadeantes e entre eles o stress e a ansiedade estão diretamente ligados a depressão. Se formos investigar de perto em geral acontecimentos estressantes ocorreram na vida dessa no início de um episódio depressivo 
Os eventos estressantes como perda de pessoa querida, perda de emprego, mudança de habitação contra vontade, doença grave, pequenas contrariedades podem provavelmente disparar a depressão nas pessoas que possuem já esta predisposição , mas não se pode dizer que são estes eventos os responsáveis diretos como fortes fonte desencadeadora desta doença. Toda separação dói. O luto é um processo indispensável para a sobrevivência das emoções quando se vivencia uma perda. Ainda que ela seja a perda da ilusão. Quem não se permite sofrer a dor e chorar a lágrima da despedida pagará o imposto do sintoma que mais tarde , talvez o corpo ou a alma nos cobrará .Mas de fato estes não podemos reduzir a causa da depressão a apenas estes fatores.O que para a ciência ainda é um desafio e objeto de mais aprofundados e contínuos são as razões pelas quais uma pessoas se torna vulneráveis ou predisposta. A influência genética é uma das hipóteses mais estudadas pela psiquiatria. Além dos fatores genéticos estudos tem mostrado que o ambiente durante a infância pode ser também um fator preponderante.




"A depressão atinge cerca de 350 milhões de pessoas em todo o mundo e não tem preconceito: homens, mulheres, crianças, velhos, jovens, ricos e pobres, todos podem ser afetados por ela
Apesar de afetar tantas pessoas, o preconceito e a falta de estratégias de prevenção faz com que apenas 10% com o problema tenham acesso ao tratamento.A OMS (Organização Mundial da Saúde), em parceria com o escritor e ilustrador Matthew Johnstone, produziu uma animação que mostra de forma simples e direta o que é a depressão e, o mais importante, como é possível se livrar dela.
Usando a metáfora do “grande cão negro”, que é utilizada desde o século 16, o vídeo explica alguns dos sintomas e como a depressão prejudica a vida de uma pessoa. O diálogo, a aceitação, o tratamento e até mesmo o exercício físico são grandes aliados na missão de transformar a assustadora fera em cão domesticado, por mais impossível que isso, às vezes, possa parecer.A figura de um cão preto foi usada pelo escritor inglês Samuel Johnson, em 1780, para descrever sua própria depressão e popularizada primeiro-ministro britânico Sir Winston Churchill, que também enfrentou o problema." [5]


Veja no vídeo abaixo  a animação  que ajudará a  compreender a depressão

Referências:
* (Diário de um Analisando)
** http://www.psicologianaactualidade.com/depressao.html
***Psicologado:http://artigos.psicologado.com/psicopatologia/transtornos-psiquicos/depressao#ixzz2MmLX4hLE. 

**** Kaplan, Sadock, Grebb, 1997
[5] Catraca Livre: https://queminova.catracalivre.com.br/2014/09/01/animacao-comovente-ajuda-a-compreender-a-depressao/

Nenhum comentário:

Postar um comentário