Uma Reflexão sobre o Filme " O Reencontro"

Por Rosangela Brunet

Sinopse do Filme : "Um famoso autor de romances Monte Wildhorn (Morgan Freeman) sofre com o alcoolismo e resolve fazer uma mudança radical na sua vida e vai para uma linda cidade rural busca do seu talento perdido , onde conhece a vizinha atraente Sra. O'Neil (Virginia Madsen), uma mãe solteira, e suas três filhas. Esta família vai ajudar o autor a encontrar inspiração e recuperar o seu amor pela literatura."[1]
Que doa. Que rasgue cada véu de ilusão que foi criada. Que as lágrimas escorram gordas pela face impassível, que se derramem as retinas se o pranto de água e sal não for suficiente. Que entorpeça, que me leve à beira da loucura essa sutura mal feita. Ferida que não cicatrizou, eu estava certa. Havia uma infecção emocional que apenas um bisturi poderia extirpar. Que seja. Não faço mais curativos e nem lanço mão de placebos. Que seja insônia, agonia, desespero se for este o caso. Não conheço vida sem quaisquer umas destas emoções. Mas que venha tudo. ...Que eu possa sentir até o fundo dos poros, que todo o veneno amoleça minhas veias, que a dor, antes obsoleta, pois a vida exigia uma sucessão de alegrias, me corroa com inteireza.Mas que eu renasça... E cresça.E que possa receber, após esta limpeza, a paz. Desejo coragem para quem nasceu pra sentir demais."
Marla de Queiroz
Este filme é um romance cheio de poesia e arte.Cenário cheio de dramas existenciais. É um longa onde podemos constatar a importância da arte na recompensa e reparação do sofrimento. Monte Wildhorn (Morgan Freeman) é a figura do homem moderno que perdeu sua espontaneidade , e assim, foi com ela também toda a sua capacidade de criação.Ele se transforma num homem amargo,cético e sem nenhuma inspiração.
É sobretudo em épocas marcadas por dificuldades físicas,políticas,econômicas e espirituais que o ser humano volta seus olhos angustiados tentando antecipar o que lhe reserva o futuro"" Carl.G.Jung
Absorvido pelas demandas da indústria literária que só  visa o lucro se submetido ao mercado cinematográfico, Monte cansado e triste, foge de sua cidade e vai morar num local distante de 
tudo que possa fazê-lo esquecer de seu sofrimento e frustrações. É uma história cheia de sonhos escondidos, que vão se desvendando ao aos poucos na medida em que o filme vai sendo desenrolado.
Monte perdera sua família e suas pernas após um acidente.Isso o deixou não somente paralisado física mas também emocionalmente. Sem esperança de ser feliz, e decepcionado com o amor e com a vida, ele se torna um alcoólatra cínico e cético . 
Gabor Maté disse uma vez que “a dependência não reside na droga – ela reside na alma”.Ele estava certo.Neste longa, este guerreiro em fuga, irá travar a maior batalha que um homem poderá enfrentar: sua própria sombra.Após esbarrar novamente com o amor que tanto ele havia esquecido,  ele  será forçado a  enfrentar suas descrenças, desesperanças e escuridões .A dependência que habitava em sua alma se tornou uma fonte inesgotável de criação quando ele começa desbravar suas paisagens internas .
E a linda e exótica "Belle Isle", um lugar apropriado para os que desejam retornar a si mesmo, serviu de cenário para o resgate de suas fantasias infantis e desejos legítimos que foram se perdendo ao longo de sua vida. Seus moradores, ainda inocentes e protegidos da violência urbana e da vida industrial selvagem , participaram de uma odisseia encantada, cheia de alegria , esperança e amizade , onde pessoas boas e solitárias se encontraram e se transformaram mutuamente tendo suas vidas influenciadas pela solidariedade, compaixão ,amizade e amor que encontrarão uns nos outros .E Monte, depois de ser mediador desses milagres, foi também o protagonista e escritor de um novo romance que ele escreveu,depois de ter sido salvo pelo amor de uma mulher e de uma menininha que o devolveu a vida e a criatividade.
Muitas vezes,por medo de enfrentar as dores e o sofrimento o indivíduo se defende de se emocionar novamente.É uma atitude que comumente o indivíduo adota diante do medo que é o distanciamento dos afetos. Alguns fazem isso acontece de forma mais socialmente inteligente , e coloca isso na arte ou na intelectualidade.
A maioria das doenças que as pessoas têm são poemas presos.Abscessos, tumores, nódulos, pedras são palavras calcificadas,Poemas sem vazão." Viviane Mosé
Mas a dor de Monte era tão insuportável que ele preferiu a autodestruição a autocomiseração.E num esquema sistemático de regressão destrutiva ele se fecha para o amor de todos.
"Porque a angústia, meu amor, é essa tristeza sem rosto, sem acontecimento, sem desencadeador, sem réu.É, de repente, não caber em lugar algum e escrever esse amontoado de palavras magoadas com ninguém. Essa angústia a gente não puxa, não escolhe, ela entra na gente assim como a noite caindo lenta e definitiva. E ela aperta teu peito com toda disposição do mundo. A angústia te tira do mundo de fora, te deixa encolhido olhando pra dentro, porque não se pode apontar o dedo e nem colocar a culpa em ninguém, ela simplesmente é esse mal-estar que te faz querer mudar tudo de lugar e se fazer alguns ajustes. Você não vai conseguir sequer fingir que está bem se ela te abraçar. Angústia te deixa enfastiado com a própria rotina, com o seu jeito antigo de conduzir as coisas. Ela te pede morte e renovação. Ela te impõe uma perda irremediável do que você era antes, ela te força a trocar de pele como se você tivesse tomado muito sol sem proteção.O que a angústia quer de você é a desaceleração pra parar e contemplar e agir de acordo com o que pede a tua sede de alma...Ela vem pra gritar aquilo que seu coração sussurrou tantas vezes num momento em que você pensava estar ocupado demais para ouvir."Marla de Queiroz
Até que ele encontra uma menina que também sofria pelo abandono de seu pai num divórcio mal resolvido. Como disse Sigmund Freud "Não me cabe conceber nenhuma necessidade tão importante durante a infância de uma pessoa do que a necessidade de se sentir protegido por um PAI"
No entanto, ainda que Monte tivesse tentado arduamente se afastar de tudo que fosse possibilidade de sentir, não foi possível resistir a dor misturada com a esperança nos olhos daquela linda criança que clamava por sua ajuda, chorando pelo sofrimento de não entender a razão da falta de seu pai. 
Sigmund Freud disse que Qualquer coisa que encoraje o crescimento de laços emocionais tem que servir contra as guerras.".E essa era uma guerra que agora Monte sabia que jamais poderia perder. Então, sensibilizado começa a se utilizar do único recurso que lhe restara : A
sua Poesia em forma de Romance.
Os adultos substituem o ato de brincar por fantasias e devaneios, guardando-os, na maior parte das vezes em segredo. Já os poetas, eles compartilham seus segredos, e assim exercem a importante função de nos abrir um campo imenso de imagens e prazeres que conhecemos, mas jamais teríamos a coragem de revelar publicamente."Sigmund Freud
Começou então a escrever pequenos contos que serviu de ponte para que ambos resgatassem suas emoções submersas pela avalanche da dor da rejeição, do abandono e da perda que a vida havia lhe proporcionado. Um toque de literatura , e lá estavam eles novamente, os seus afetos devolvidos e inteiramente vivos, como material bruto a ser utilizado agora para contar uma nova história. E de repente o que era vício foi substituído pelo amor e suas defesas agora seriam destruídas pela fé de uma criança. E um conto novo foi contado para apagar todos os pesadelos das noites atormentadas de angústias e solidão.A vida gora o devolvia a possibilidade de ser o que ele poderia ser de melhor, e agora com mais força e certeza de ser possível sobreviver a qualquer caos.
"Inconscientemente, parecia querer buscar em autores,filmes e músicas, algum tipo de consolo.Como se alguém precisasse chegar bem perto do sofá,onde estava, colocar uma das mãos em seu ombro e dizer que aquilo era normal.Que acontecia também com outras pessoas.E que iria passar."Caio Fernando de Abreu
Este filme é um caso exemplar da força que existe na arte enquanto recurso terapêutico, e é especificamente a literatura sendo usada como meio de comunicação e ferramenta para transformação. A arte possibilita estes fenômenos, pois ela faz a travessia tão evitada e cheia de vazios entre o inconsciente e o consciente .Uma jornada desconhecida e muitas vezes impossível de vivenciar. No entanto, os símbolos e as imagens encontrado nesta instância de incontestável riqueza, se torna um recurso fortemente utilizado neste caso para viabilizar a catarse e afrouxar as resistência.Esse processo de desdobra pela identificação entre os personagens que facilitarão o processo de " cura" ; resgatando assim a criatividade e promovendo o resgate dos afetos evitados e negados.Sublime(ação) do sofrimento. E desse ciclo produtivo de construções e transformações sobreviverá renasce a espontaneidade perdida diante das perdas e dos sofrimentos do passado. 
"Escrevo como se estivesse salvando a vida de alguém. Talvez a minha própria....Às vezes escrever uma só linha basta para salvar o próprio coração... "Clarice Lispector
Os personagens agora deixarão de habitar em lugares cheios perigos e ameaçados pelo medo, e pertencerão a uma nova história contada delicadamente por Monte. Elefantes agora dançarão mesmo diante das ameaças e dos medos, ratos e elefantes serão enormes amigos; e toda sorte de impossibilidades agora se tornarão o cenário de grande alegria e esperança.Uma verdadeira fonte de inspiração e retorno do que é espontâneo e original. Um local geográfico da lugar ao imaginário para possibilitar a realização dos sonhos. È o processo simbólico se conformando com os sentimentos mais ricos , e cheios de ilusões românticas e esperanças de futuro. 
Finalmente o que fica dentro de mim depois de ter visto este filme é que se algum dia o amor te tocar se entregue desarmado, pois nesse abrigo não há sombra que resista, ninguém se sustenta disfarçado , ninguém se esconde dessa Luz. Algumas pessoas buscam perfeição , mas os que amam são observa(dores). E nessa dimensão nenhuma defesa fica de pé, toda resistência se desespera, nenhum repressão permanece. O sujeito se entrega inteiro confessando o que não sabe "." 

Referência: 
[1]Site "Adorocinema"

Comentários