domingo, 8 de novembro de 2015

Temos que sair do lugar de alguma forma quando nos faltam os recurso internos para responder àquilo que nos angustia.

Por Rosangela Brunet
"Não ser ninguém-a-não-ser-você-mesmo, num mundo que faz todo o possível, noite e dia, para transformá-lo em outra pessoa – significa travar a batalha mais dura que um ser humano pode enfrentar; e, essencialmente, jamais parar de lutar" (E. E. Cummings)
Estava entediada em uma reunião, resolvi registrar algo que nada tinha a ver com a realidade.Registrei alguns detalhes meus, fotografei pequenos detalhes e coisas "no sense" enquanto o cotidiano permanecia com a mesma retórica, e o discurso não respondia minhas questões. Naquela hora, nada poderia fazer por isso. Então, recorri ao supérfulo!! Me censure quem puder,mas temos que sair do lugar de alguma forma quando nos faltam os recurso internos para responder áquilo que nos angustia.

Assim como um papo filosófico abre tua mente, falar com pessoas que acharam a verdade é perigoso demais A gente já tem que engolir rótulos demais para poder sobreviver. É necessário reservar um tempo para sermos nós mesmos. Por isso, eu recomendo.Procure a sabedoria pelo caminho da dúvida, desmontando as certezas e desmembrando as fórmulas. Porque , se você for uma pessoa um pouco humilde para confessar, você concordará comigo que ,"na prática a teoria é quase sempre outra" . As fórmulas não funcionam para todos o tempo todo. Não somos uma massa ou uma máquina,somos sujeitos, barrados,talvez,mas sujeitos desejantes. Eu acredito em pessoas que sentam comigo para ouvir o que tenho a falar, e que respeitam o que eu sinto e velam o meu silêncio.

Fotografia de cheleanvigilio



Normalmente quem tem fórmulas prontas ,pode acreditar, nunca tem tempo para te ouvir ou para respeitar teus sentimentos. Eles só sabem despejar meia dúzia de clichês e depois bate nas tuas costas e vai embora sem nem imaginar do que você estava falando.É lindo encontrar pessoas que despertam o melhor que podemos ser, que encontra a nossa melhor parte perdida , que nos deixa ser quem somos, que sabe cobrir nossos "pecados", que nos deixa de mãos vazias quando ficamos carregadas de culpas, que não nos desafia com seus rótulos, que se esbarra em nós sorrindo quando nos vê distraídas na vida, quando enxuga o pranto que a gente não conseguiu chorar ... .Nos amam porque somos .
Falando nisso lembrei de José Régio, pseudônimo literário de José Maria dos Reis Pereira: ".. vós amais o que é fácil! Eu amo o Longe e a Miragem, amo os abismos, as torrentes, os desertos... que ninguém me dê piedosas intenções,que ninguém me peça definições!Ninguém me diga: "vem por aqui"! A minha vida é um vendaval que se soltou, é uma onda que se levantou,..."
Não tenho pressa de nada, sei quem sou, sei de onde venho e para onde estou indo.E não tenho nenhuma fórmula para dar a ninguém,exceto uma direção: ame aquele que esta do teu lado, se comprometa com ele, e respeite-o.Não o apresse.Cada um tem seu próprio ritmo ainda que a canção seja a mesma.Enfim, deixo para você um trecho do livro do psicanalista Renato Dias Martino que diz:"Te desejo a verdade.Essa que nos acoorda de manhã cobrando um tipo de resposta que , talvez, não servirá mais depois de amanhã.A verdade que nos vira a cara a cada encontro.Aquela pela qual só podemos nos ver orientados,mas nunca possuídos"..."A verdade que nos faz eternos pesquisadores do mundo e da vida. A verdade que não sossega."

Nenhum comentário:

Postar um comentário