A morte de Sócrates, do pintor francês Jacques-Louis David, é a 46ª obra homenageada

"Oh Cisne.Canta tua dor.Expõe teu desalento e consternação das noites que ficarão nas memória dos que te amaram . Nenhuma desesperança ou desolação será poupada. A languidez e a melancolia de teus olhos já se ajustaram ás tuas melodias de luto e pesar. Tens que cantar antes de ir.Não há como explicar Apenas anuncias tua ida demonstrando teu fim .Figura de uma nova vida.Porque terminas Dizes que não serás mais mudo mas tua fala significa tua morte cantada.Não podes morrer o que nunca existiu . A Palavra que faltou dizer nascerá agora de teu pranto, e então viverás.O não dito em tua mudez se manifestará agora demonstrando nascimento do novo ser.Nada acabou .Tua vida grita para nascer e este canto é tudo que tens. Os sons apresentando teu nascimento, explicando tuas notas mais altas,manifestando tuas formas mais sublimes, dizendo tudo que não foi dito antes de tua morte. Se apresente, então. Fala agora quem tu és.Revela o mistério de teu silêncio mantido com teus acordes mais altos.Compõe o teu arranjo ordenado disposto em dó maior .Que dor é esta? Porque partes assim depois de tanto silêncio.Fica para nascer.Ajusta outras combinações.Encontre outra ordem. Descomponha tua missão e faça outra obra de arte desdobrada em outros acordes que nos acorde e nos devolva a paz. Cria tua história Germina e brota deste silêncio já que ele se findou.Deixa emanar tua essência e não desista de romper esta manhã. que insistes em deixar. Abra.Apareça. Desabroche.Desponta Que surja uma nova lenda " Rosangela Brunet,In: "O Cisne Branco :Canto e (Re) nascimento " Rosangela Brunet 
Um artigo do site ( /www.universia.com.br/) explica a obra de Obra de francês Jacques-Louis David sobre a morte de Sócrates de forma muito interessante. Leia o artigo do site na íntegra. 
  " A obra, pintada para um mecenas, mostra Sócrates na prisão, sendo visitado pelos seus discípulos pouco antes de tomar o veneno. O tema da obra foi escolhido pelo patrono de David, mas fica claro o interesse do autor na mistura de coragem e autossacrifício presentes na história do filósofo grego.O gesto e a pose rigorosos de Sócrates fazem contraste direto com os personagens desfalecidos que o cercam. O pintor se utiliza de toques de luz e sombra para ressaltar o movimento, além de banhar o protagonista da cena em uma luz divina.Para realizar a obra, David se inspirou na história de Sócrates, contida no Fédon - um dos diálogos de Platão. Alem disso o pintor consultou eruditos e complementou a obra com interpretações pessoais. Por isso a cena é ambientada em uma sala em estilo romano e o número de discípulos é menor do que de fato ocorreu. Platão, entretanto, é representado na pintura apesar de não ter presenciado a morte de seu mestre.


DETALHES DE A MORTE DE SÓCRATES SE DESTACAM:

1. IMAGEM NO CORREDORO homem encostado na parede do corredor é Apolodro, um dos discípulos de Sócrates. Segundo relatos, Sócrates mandou o discípulo embora porque ele estava transtornado demais diante da morte iminente do mestre. O discípulo foi retratado numa pose de absoluta tristeza.

2. BRAÇO LEVANTADO DE SÓCRATESO filósofo passou suas últimas horas debatendo sobre a imortalidade da alma. O dedo levantado indica que há uma esfera de existência mais elevada que o terreno dos mortais. O modo casual como Sócrates segura o copo de cicuta, sem olhar para ele, ressalta também a atitude relaxada diante da morte.

3. HOMEM SENTADOO homem sentado com a mão no joelho de Sócrates é Crito, um dos discípulos mais próximos do filósofo. Quando a sentença é anunciada, ele tenta convencer o mestre a fugir.
4. PLATÃOO discípulo mais jovem de Sócrates não estava presente na sua morte, mas é retratado na cena. É um único que reage à tragédia com a mesma dignidade do mestre, sentado imóvel à beira da cama, com o olhar afastado da dramaticidade da cena. Sua cabeça está curvada, imersa em pensamentos, enquanto contempla o destino de seu mestre." [1]

A morte de Sócrates
Obra de francês Jacques-Louis David. Metropolitan Museum of Art, Nova York, EUA , 1787
Óleo sobre tela .1, 30m x 1, 96 m Neoclassicismo
[1] Leia mais no link :http://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2012/02/15/911982/conheca-morte-socrates-jacques-louis-david.html

Comentários