Auto Descoberta No Encontro Com O Outro

Por Rosângela Brunet

 A Psique é a ciência do símbolo. E o símbolo engloba o sujeito e o objeto .A cultura ocidental materialista esta acostumado a viver no subjetivo, no discurso do sujeito.O Ego não é o dono da Psique.Existe o arquétipo Self que aponta para a totalidade e mostra que na consciência há o sujeito e o objeto: O ego e o outro .Ambos são formados pelo símbolo, e o símbolo é formado pelo arquétipo" Carlos Amadeu Botelho Byington do Instituto Sedes Sapientae, São Paulo, SP.

Yves Pires - Sculptures

Carl Gustav Jung  diz: " Conhecer sua própria escuridão é o melhor método de lidar com a escuridão dos outros".Ele nos explica que há muito mais a se conhecer e a se dizer além do que as aparências e o verbal. O inconsciente é uma realidade incontestável, e deve ser levado em conta quando se fala de Psique. 
Segundo C.G. Jung " [...] às vezes somos tomados por estados e emoções que despertam em nós impulsos, sentimentos, pensamentos e imagens que nos parecem totalmente estranhos. Frequentemente, tais emoções são diametralmente opostas aos nossos pontos de vista ou intenções, de tal forma que dão a impressão de se tratar de manifestações de um ser com existência própria, diferente de nós.”[1]
A gente tem a mania de não querer ver o que esta na nossa cara. Em geral isso acontece porque temos a tendência de evitar a dor , a frustração e o sofrimento.
A neurose pode ser explicada por um conflito entre o desejo e o Eu. Para Lacan, a neurose não é um conjunto de comportamentos inadequados ou fora da ordem, e sim um mito que perdeu sua função coletiva e que se individualiza em uma história na qual o sujeito não se reconhece mais" Christian Dunker
Bernard Kapfer,

A gente quer mesmo é buscar o prazer.Mas o equilíbrio esta na busca pela verdade e na reflexão dos nossos desejos; aprendendo a diferenciar a fantasia da realidade , saber a diferença entre desejo e necessidade.Os sonhos e desejos que são legítimos contribuirão para uma vida de qualidade . Não se engane com uma
miopia emocional. .O universo não perdoa. Como disse Brena Braz: "Chega uma hora que a realidade te espreme num canto, te dá um tapa na cara e te pergunta: o que é que você está fazendo aqui?”
‘Como disse Renato Dias Martino " Não pode haver superfícies verdadeiramente belas sem compreendermos as enormes profundidades".Enfrentar nossos fantasmas de frente é um desafio,mas nos fará mais fortes e maduros.





"Precisamos resolver nossos monstros secretos,nossas feridas clandestinas,nossas insanidades ocultas" Michel Foucault
Começamos a crescer quando temos coragem de aceitar aquilo que somos e tememos. Ficamos mais fortes quando temos a coragem de olhar no espelho e enxergar tudo que nos assusta ,os nossos monstros mais secretos.Nossa pior escuridão. O problema nessa busca pelo desconhecido em nós e, pela descoberta da verdade é a dor que isso nos causa. Por isso só existe uma maneira de fazê-lo, e isso será através do encontro com o outro. Isso é o que facilita a autodescoberta, pois segundo Lacan  é o outro que nos "nomeia e nos institui"
Bond of Union (1956)_Homage M.C.Escher.Netherlands
Conhecer a si mesmo depende diretamente da capacidade de amar o outro.”Renato Dias Martino
Mas falo de "encontro", não esbarrões .Pois não se pode sentir-se seguramente transparente diante de alguém que não te conforta por você ser quem é .É preciso ser continente , um lugar de acolhimento onde o outro esquece seus medos, descansa dos fardos da solidão e, repousa segura sua escuridão. Li um trecho que gostei muito uma vez e o traduzi do meu jeito:" Não tenha medo de ser fraco e nem seja orgulhoso por ser tão forte. Apenas olhe pra dentro de si mesmo e não se importe com o que os outros dizem Nunca desista e nem desperdice a chance de retornar à inocência..." [2]
Os indivíduos estão em contato com o meio e necessitam de desempenharem papeis na sociedade. Estes papéis são chamados Personas.O  arquétipo da aparência .

Obra de Glenys Barton.

A persona é uma máscara da Psique coletiva que aparenta individualidade, procurando convencer aos outro as e a si mesmo que é individualidade, quando na verdade não passa de um papel no qual fala a psique coletiva. A persona é um complicado sistema de relação entre a consciência individual e a sociedade; é uma espécie de máscara, por um lado, destinada a produzir um determinado efeito sobre os outros,e por outro lado a ocultar a verdadeira natureza do indivíduo" Carl Gustav Jung ,In: " O.C. Volume XVII/2
A Persona  vai se dissipando na intimidade. Por isso as relações são fundamentais no processo de individualização em direção a totalidade.

Referência
[1]JUNG,Carl Gustav . Emma - in Animus e Anima.
[2](Tradução modificada de Enigma in Return To Innocence)

Comentários