10 Principais Livros sobre Transtornos Mentais e Casos Clínicos

Por Professor Felipe de Souza



Para entender os principais transtornos mentais.

Listas são úteis para organizar o conhecimento. O problema com as listas é que elas nos dão a sensação de excesso (esse item não deveria estar presente) ou falta (aquele item não foi incluído). Como temos a vantagem de estarmos na internet, podemos acrescentar o que estiver faltando e dialogar sobre.

Hoje, vou disponibilizar a minha lista dos 10 Livros mais importantes sobre Transtornos Mentais. Um transtorno mental, em poucas palavras, é um sofrimento psíquico. Um paciente tem uma dor, uma dificuldade, um problema e busca ajuda.

Os profissionais que podem vir a lhe ajudar na área da saúde, como psicólogos, psiquiatras e psicanalistas, possuem um corpo de conhecimentos que é a psicopatologia. Se quisermos ser um pouco mais românticos, diríamos que é uma dor (pathos) da alma (psique). Então, passemos à lista:

1) Um caso de histeria, de Sigmund Freud –

O caso em questão é o famoso caso Dora. Freud tratou esta paciente histérica entre outubro e dezembro de 1900, período em que estava escrevendo o Psicopatologia da Vida Cotidiana e pouco depois de ter concluído e publicado a sua obra-prima A Interpretação dos Sonhos (link para os nossos cursos).

A relevância do caso reside no abandono total dos pressupostos anteriores e da hipnose e no que podemos chamar de o início do método psicanalítico, além das descrições apuradas do que é a neurose histérica.

Na edição que tenho, o caso Dora ocupa cerca de 100 páginas. O volume também inclui os Três Ensaios sobre a Sexualidade e outras trabalhos. É o Volume VII de suas Obras Completas.

2) Duas histórias clínicas (o “Pequeno Hans” e o “Homem dos Ratos), de Sigmund Freud

Alguns anos depois, em 1909, Freud publica o caso que ficou conhecido como “o Pequeno Hans”. O título do trabalho, entretanto, é “Análise de uma fobia em um menino de cinco anos”. Importante salientar que Freud não atendeu o garoto, mas ajudou na condução do tratamento que foi realizado pelo pai da criança (que era analista também). O caso expõe em detalhes o que é uma neurose fóbica.


A segunda história clínica, “o Homem dos Ratos”, é, em minha opinião, o relato mais brilhante de Freud de um caso clínico. Freud atendeu este paciente por um ano. Ao estudarmos este caso, aprenderemos muitíssimo sobre o que é uma neurose obsessiva (que hoje é chamada de TOC, Transtorno Obsessivo-Compulsivo). Este é o Volume X de suas Obras Completas.

3) O caso Schreber, de Sigmund Freud

Assim como “o Pequeno Hans, Freud não atendeu o paciente Schreber. Schreber havia escrito suas memórias em 1903 e a partir delas Freud analisa um caso de psicose – como sabemos, Freud não atendia psicóticos. O título é “Notas psicanalíticas sobre um relato autobiográfico de um caso de paranoia (dementia paranoides)” que foi publicado em 1911.

Ao ler o caso Schreber, podemos entender como Freud entendia as psicoses e sua relação com as neuroses. Volume XII das Obras Completas.

4) Símbolos da Transformação, de C. G. Jung

A obra de Jung é pouco estudada nas universidades de psicologia. Creio que, em parte, pelo seu estilo de escrita, mas principalmente porque os professores, enquanto estudantes, normalmente não tem contato com sua obra e, assim, não a conhecem o suficiente para depois se especializar e ensinar.

Ao contrário de Freud, Jung não publicou tantos casos clínicos bem delineados (aqui e ali ele relata partes de casos), mas um é de especial utilidade.

O 5° Volume de suas Obras Completas tem como título completo Símbolos da Transformação – Análise dos prelúdios de uma esquizofrenia. Do mesmo modo que o caso Schreber, Jung não analisou diretamente Miss Miller e sim pelo trabalho de Théodore Flournoy nos Archives de Psychologie. O seu objetivo é mostrar que os conteúdos de uma esquizofrenia (sonhos e visões) aparecem de formas semelhantes em outras manifestações como conteúdos religiosos, mitológicos, rituais, arte e poesia.
Foi a partir deste livro que Jung começou a desenvolver, portanto, o conceito de inconsciente coletivo.

5) Depressão: causas e tratamentos, Aaron Beck e Brad Alford

Este é o livro mais completo que você poderá encontrar sobre depressão. Curiosamente, Beck procurou de início comprovar as teses de Freud sobre a depressão (Luto e Melancolia) empiricamente, ou seja, através de pesquisas em grupo e grupo-controle e operacionalizar conceitos para o diagnóstico e testes.
Ele notou que não era possível realizar este projeto inicial e, com seus estudos, passou a elaborar um novo jeito de entender a depressão e, ao mesmo tempo, criou toda uma nova abordagem na psicologia, a psicologia cognitiva – que muitas vezes é unida à psicologia comportamental como terapia cognitivo-comportamental.

6) Terapia cognitiva para os Transtornos de Ansiedade, Aaron Beck e David A. Clark

Também acredito que este é o livro mais completo que você poderia encontrar sobre Ansiedade. Existem duas versões: a versão para o terapeuta e a versão para o paciente. O primeiro, evidentemente, é mais denso e faz um levantamento completo das causas, vulnerabilidades e tipos de ansiedade: transtorno do pânico, fobia social, TAG (transtorno da ansiedade generalizada), TOC (transtorno obsessivo-compulsivo) e TEPT (transtorno do estresse pós-traumático).


O livro dedicado ao paciente é uma espécie de autoajuda, com base científica, para ajudar a pessoa que tem ansiedade, independente do tipo. É útil para quem está fazendo terapia e também para quem ainda não começou.

7) Terapia Cognitiva da Esquizofrenia, Aaron Beck

Ao contrário do livro de Jung, o livro de Beck sobre Esquizofrenia é mais simples de entender. Ele começa citando o caso de John Nasch, retratado no filme “Uma mente brilhante”. Apesar de não ser um livro inteiro sobre um único caso clínico, é um trabalho fundamental para entender a esquizofrenia e as pesquisas mais recentes concernentes ao tema.
Todos os livros de Beck são muito claros e didáticos, com diversos exemplos clínicos.

8) Terapia Cognitiva dos Transtorno de Personalidade, Aaron Beck e colaboradores

Este livro aborda diversos transtornos reunidos sob a sigla de Transtorno de Personalidade:

– Transtorno da Personalidade Paranoide
– Transtorno da Personalidade Esquizoide e Esquizotípica
– Transtorno da Personalidade Anti-Social
– Transtorno da Personalidade Bordeline
– Transtorno da Personalidade Histriônica
– Transtorno da Personalidade Narcisista
– Transtorno da Personalidade Dependente
– Transtorno da Personalidade Esquiva
– Transtorno da Personalidade Obsessiva-Compulsiva
– Transtorno da Personalidade Passivo-Agressiva

9) Terapia Cognitivo-Comportamental para pacientes suicidas

O suicídio é ainda um tema tabu. O risco de suicídio e a tentativa de suicídio transforma um caso clínico em um caso grave que deve ser tratado imediatamente. Beck salienta que, ao contrário do que é suposto no senso comum, o suicídio não está intimamente ligado à depressão. Melhor dizendo, um paciente depressivo não é necessariamente um paciente propenso ao suicídio. A propensão ao suicídio surge a partir da desesperança.

10) DSM-5

Embora muito criticado, o Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais é um livro fundamental para conhecer a sintomatologia e terminologia utilizada no mundo principalmente na psiquiatria, além da prevalência, prognóstico e tratamento.

Estudamos o DSM-5 aqui – Curso DSM-5: principais mudanças
Neste texto, falamos em detalhes – O que é um Transtorno Mental

Conclusão

A nossa lista com os 10 livros mais importantes sobre transtornos mentais e casos clínicos contém livros de psicanálise, psicologia analítica, psicologia cognitiva e psicologia comportamental. Na medida em que existem outras abordagens na psicologia, podemos completar nos comentários, citando outras obras significativas que ficaram de fora.

Entretanto, penso que a lista acima dá uma excelente base para quem quer entender melhor os principais transtornos mentais.

Leia também:




Comentários