terça-feira, 30 de dezembro de 2014

O" Self" é superior ao Ego, e foi chamado de Deus, Daimon, Voz Interior, que fornece as direções, a energia (“o impulso ético”)

Por Rosangela Brunet


O que é psíquico é um poder imensamente maior do que todas as demais forças terrestres"
C.G.Ju
ng


Obra de Leonardo da Vinci
O Homem de Vitrúvio


Esta obra representa Um Ser Cósmico: Um Ser em expansão artística, científica e sócio-econômica.. em direção a Totalidade "Expressa o conceito da “Divina Proporção” que se fundamenta numa das leis que regem o equilíbrio dos corpos , a harmonia das formas e dos movimentos. E esse conceito pode ser estendido ao Universo como um todo. Isso pode ser observado no mundo que nos cerca. Assim, quando achamos algo bonito, harmonioso , significa que essas formas obedecem a uma regra geométrica especial chamada proporção áurea."Clea Ana Seganfredo

Carl G. Jung fala sobre a individuação que  é um processo arquetípico em que o indivíduo entra numa jornada onde o ego parte em busca do Self. Para ele este é o grande desafio: a Busca da Integração do Ser.
Meu discurso é baseado na Psicologia analítica de Carl Gustav Jung, que permite nomear este processo de estruturação e crescimento psíquico em busca da individuação. De todos os arquétipos falado por Jung, o "AION" é o que me importa citar aqui, pois ele significa Self (Si – Mesmo, Selbst). 

"Por ser superior ao Ego, o Self também foi chamado de Deus, Daimon, Voz Interior, que fornece as direções, a energia (“o impulso ético”) para a individuação (GORRESIO, 1997, p. 115).[1]

Sendo o " núcleo mais profundo da psique”, ele pode aparecer em forma de símbolos nas histórias, nos contos, nos sonhos, etc. É o arquétipo central e regula o psiquismo. Nele esta a integração de todos os arquétipos. Representa a Totalidade Psíquica.
O processo de individuação nada tem a ver com o individualismo .Pelo contrário.Na medida em que entramos em contato com os nossos aspectos internos poderemos nos aprofundar nesse contato, percebendo a integração que existe entre a individuação e o contexto em que vivemos. O que nos cerca , então passa a ter sentido na medida em que este crescimento psíquico se desenvolve.Ao nos comprometermos com o social este crescimento toma forma com um sentido mais apropriadamente subjetivo e vice-versa. É um sistema de inter-relações.
"AION" , que é originado da palavra grega (éon) ou (era), fazendo referência ao cristianismo e ao desenvolvimento psíquico foi simbolizado pela figura de Cristo,o qual um símbolo  arquétipo de AION . Jung  via Cristo como o simbolo cristão, especialmente, " a imagem de Deus dentro da alma, a imagem arquetípica da totalidade e realização.
De um ponto de vista psicológico, Cristo representa, enquanto homem primordial, uma totalidade que ultrapassa e envolve o homem comum, e corresponde a personalidade total, que transcende o plano da consciência. Como já indiquei anteriormente, chamei essa personalidade de Si Mesmo. [...] O mistério eucarístico transforma o homem empírico, que constitui apenas uma parte de si próprio, na sua totalidade, expressa na pessoa de Cristo. Por isso, a missa pode ser classificada como um rito de processo de individuação." ( Carl.Gustav. Jung) [2]

Baseado no que disse ERICH FROMM, o homem tem como principal objetivo dar a luz a si mesmo, descobrir-se como ser. Encontrar o seu AION. Reconhecer os sentimentos ,sensações e percepções que fazem parte desta jornada em busca de si mesmo é impagável. Como disse Rodrigo Freitas dos Santos (São Gabriel,RS,2013 ):

"Com frequência, quem sou eu senão aquela que aparece à frente do farol. Lançada por sobre o mundo das formas, e sobre as cabeças das pessoas, voltando contra eu próprio em manifestações de repressão e lapsos?...Com frequência, quem sou eu senão a escuridão das sombras? Sei que as outras sombras não me podem compreender, porque uma sombra só pode ser compreendida, jamais compreender" 
Então, neste diálogo íntimo em busca do Ser que nos liberta das encruzilhadas disfarçadas de verdades que nos paralisam e de aparências estabelecidas pelo medo de sermos quem realmente somos; a gente se encharca de encontros com consciências esquecidas, que então voltam para nos tornar vivos. E imersa nessa transformação a gente encontra "AION" no centro do nosso universo impronunciável. Assim ,então, me reconheço nesse diálogo existencial , atravessando o desafio do autoconhecimento nas encruzilhada dessa individuação.Ás vezes leve e propícia a voar, saindo do chão,me distancio descobrindo outras realidades .Muitas vezes abandonar a tão conhecida orientação , vou me encho de energia e, o que me impulsiona é a paixão. O enfrentamento desse inferno até tocar o céu.
As sombras sendo descobertas em mim, me reconheço no que era inominável. Catarse desvelada do inconsciente.Muitas vezes parecendo um sonho navegando na ilusão,enxergando o improvável, o impossível ,o inalcançável. 
É isso que me faz viver, é isso que me direciona e me liberta das regras cerradas e imposições mascaradas .É o instinto favorecendo a imagem, a pulsão á serviço da criatividade, sublime(ação) do sofrimento construindo a arte de viver. A fantasia me ajudando na criação. Escape de sofrimentos, dor ou pressão.Quando essa loucura me atravessa me transformo em molécula em tensão .Sou elemento composto, avançando e experimentando outra composição. O sobressalto dos que provocam novos olhares. O alcance da individuação .Levito sem pudor. Mola mestre dos meus revezes. Descubro ali minhas imagens, novas viagens, horizontes perdidos, sem limite , desbravo novas terras para fora/dentro de mim. .Uma odisseia do encontro com ideias e universos desconhecidos .Uma busca de mim , uma dança de amor, um movimento infinito.Essa é a música e a poesia que me arrasta neste milagre me conectando com o espetáculo de vida.

Por isso, pode-se dizer que a nossa Psique esta diretamente ligada ao universo, ao divino.Isso significa que um afeta o outro,um contém o outro.Por isso decidi refletir sobre este processo de individuação, essa busca pelo "Si mesmo" relacionado as variações deste simbolismo.
Considerando o que foi dito a  Psique , nessa travessia,  o ego pode intervir e se desviar mudando de rumo Gosto de me utilizar de um exemplo clássico que pode representar esse processo: o ato de cultuar ou adorar.Cultuar ou adorar  um filho,um marido,um pai,uma mãe,o dinheiro, o status, o poder, a profissão e, por aí vai. As demandas sociais e exigências culturais nos seduz nos deixando incompletos como Ser, pois investimos  tempo demais em nos manter obscurecidos, e ai o arquétipo Sombra que se encontra no inconsciente    vai determinando o trajeto e as escolhas que faremos  produzindo novos símbolos .Carl Gustav Jung dizia que : "Até você tornar consciente, o inconsciente ira dirigir sua vida, e você vai chamá-lo de destino". 
E, é nesse destino que se vai  toda a energia psíquica,  direcionando o investimento em elementos  que nos distrai , deixando   inconsciente partes importante do Self .Com isso, formam-se os sintomas .
“O ataque histérico é uma representação teatral de uma cena recalcada. O sujeito atua sem pensar: ele é atuado pelo Inconsciente”.Antonio Quinet
Assim, toda as habilidades,   competências, as horas, o espaço e o dinheiro serão absorvidos para não integrarmos os símbolos contidos no Arquétipo Sombra (veja o Artigo sobre Arquétipo Sombra no link http://contruindooser.blogspot.com.br/2014/06/sombra.html
Por isso, escolhi esta palavra muito usada no meio místico que revela bem essa realidade: Adorar,cultuar, o  que significa dar honra,dispor de tempo, ter um profundo respeito a ponto de reverenciar , se "inclinar" diante de algo ou alguém .Se inclinar aqui, na verdade, é no sentido figurado.Pois muitos se inclinam fisicamente,mas na verdade não esta "adorando"..Por exemplo, amar demais alguma coisa a ponto daquilo receber a maior parte da sua atenção,concentração e energia pode ser um o ato de fuga .Por isso,neste processo pode-se dizer que   esta adoração te  transforma naquilo que você adora.
Como isso acontece? A "adoração" exige energia psíquica que é espiritual, a qual é canalizada em direção ao que é adorado. A adoração vai moldando sua forma de vida e catexizando objetos de desejo ou indesejados , com essa energia, a nossa forma de vida, de ser,de ver o mundo, de se comportar e de pensar vai sendo formada. Lacan chamaria isso de "gozo" ,uma espécie de desvio do desejo. Para que esse fenômeno aconteça é necessário que toda a tua psique,corpo e espírito esteja presente neste processo.Do contrário isso não ocorreria.A energia esta no espírito que habita na Psique e se expressa no corpo. A Psique tem ,além de outras faculdades mentais, a capacidade de sentir, pensar, lembrar, concentrar, analisar, perceber, discriminar,ate. Estes são processos fundamentais na aprendizagem de comportamentos e na formação de hábitos e articulação da inteligência. Considerando todo esse discurso da para entender a importância de uma adoração.Pode-se,então, concluir que a adoração afeta nosso senso crítico, nossa forma de pensar e de se comportar, tornando-se assim todas as nossas criações um reflexo daquilo que somos:aquilo que adoramos.
Sigmund Freud diz que nossas inquietações e angústias são matéria prima das nossas construções psíquicas, ideológicas, teóricas, organizacionais ,etc.
Mas o que realmente me diz respeito quando quero refletir sobre o tema é: a adoração afeta minha vida em conexão com o universo que é divino ,por conseguinte, afeta meu lugar de habitação: minha "Psique "
Fica aqui minha reflexão e minha inquietação pessoal diária: O que nos tornamos por adorar quem adoramos?



Fontes de Referências:

[1]Ricardo Franco de Lima,In Princípios de Individuação - Arquétipos e desenvolvimento psíquico(http://www.symbolon.com.br/index2.htm)
[2] Instituto C. G. Jung MG
[3] http://www.thejourneysproject.com/t-mygalleryofimages.aspx

domingo, 14 de dezembro de 2014

Contemporaneidade

Por Rosangela Brunet
Em 9 de fevereiro de 2012
" Tudo quanto é velocidade não será mais do que passado, porque só aquilo que demora nos inicia."Rainer Rilke
O vazio existencial se tornou hoje um desafio para o homem contemporâneo. A contemporaneidade tem sido caracterizada pela cultura do excesso, do”fast-food”. A durabilidade deu lugar ao excesso. Quanto mais temos,quanto mais intenso , mais precisamos ter em menos tempo,porque nada mais nos satisfaz por muito tempo.Este fenômeno vêm afetando as relações afetivas e profissionais, pois isso tem gerados relações intensa e urgentes substituindo a valorização do que é permanente e essencial.O fato de querermos intensamente e urgentemente alguma coisa nos torna cada vez mais efêmero e vivendo fenômenos de difícil avaliação e validação.
Obra de Alessandro Papetti
"Velocidade do Tempo"
Com a velocidade das mudanças e da globalização tudo tem sido hiper, super, e intensamente rápido.Temos a sensação de que se não estivermos preparadas pra a mudança seremos engolidos pelo assombroso sistema. Não temos tempo de entrarmo em contato com o que é essencial , com o outro, consigo mesmo; e deixamos de viver cada detalhes de cada experiência. Falar dessa forma chega ser uma utopia no meio empresarial e no mundo capitalista. ” Vivemos na época do hipermercado, do hiper corpo, do hiper consumo, do hipertexto, dos celulares, computadores, das tele entregas, da internet, de milhões de sites e bilhões de páginas”

Esta tudo do acontecendo em frações de segundo na cabeça de cada indivíduo em busca de um “tamponamento”para seu vazio existencial que muitas vezes nem sequer se dão conta de que possuem.Novas demandas e ansiedades surgem diariamente. Um novocelular é lançado a cada semana.Novas epidemias incontronláveis, catástrofes norteando nossa alma pelos jornais da manhã.Os produtos transgênicos , a poluição, o aquecimento global, o congresso nacional, a manipulação da mídia . Muitas mudanças, ansiedades , medos e angústias , e ainda assim temos que levantar de manhã e escolher a roupa adequada, a forma mais educada de falar á fim de agradarmos os contatos e contratos profissionais fundamentais para alcançarmos o nosso sucesso. Como disse (BAUMAN, 2004): “O tempo é líquido e transitório”Ainda não estamos falando sobre os valores éticos que certamente já começaram a ruir com a competitividade selvagem e o capitalismo imperialista e covarde que insiste em nos fazer acreditar que somos livres para escolher e para pensar.Na verdade todos os dias no centro da cidade vemos uma busca frenética pelo primeiro lugar contra a corrida do tempo.Na altura deste processo e identidade de cada cidadão esta sendo um alvo fácil para a opressão deste sistema.Sabemos da vida de todas as celebridades , falamos com o mundo inteiro na internet,mas estamos correndo o risco de não conhecermos mais os nossos filhos, de não sabermos com estamos dormindo, e perdendo muito tempo longe de quem realmente amamos
"Quando o Supérfluo se tornou o necessário, podemos dizer que enfim, entramos verdadeiramente em uma sociedade diferente da modernidade. Chamam este tempo de contemporaneidade, ou ainda, a sociedade líquida, sem vínculos, onde acima de tudo o que prevalece é o efêmero."Marcos Leite 

Obra de Arte Digital Surrealista de Marcel Caram
" Porta, o Tempo e o Espaço"
Na verdade todos os dias no centro da cidade vemos uma busca frenética pelo primeiro lugar contra a corrida do tempo.Na altura deste processo e identidade de cada cidadão esta sendo um alvo fácil para a opressão deste sistema.
Sabemos da vida de todas as celebridades , falamos com o mundo inteiro na internet,mas estamos correndo o risco de não conhecermos mais os nossos filhos, de não sabermos com quem estamos dormindo, e perdemos muito tempo longe de quem realmente amamos

Esta corrida nos arremessa para bem longe dos valores éticos e essenciais da vida, e principalmente corremos um grande perigo de nos distanciarmos cada dia mais de nós mesmos. Falamos de democracia e liberdade, mas somos escravos do medo, do sistema que nos faz trabalhar como escravos gerando angústia, ansiedade e afastamento de “si mesmo” .E o tempo passa descompassado e cheio de velocidade.As mudanças nos transformando, e lá vamos nós tentando obter o controle da nossa vida olhando a agenda , atendendo celulares e com o Notebook na mão .Mas na verdade mesmo,estamos loucos para chegarmos em casa ou em algum lugar seguro .A rotina é uma desistência de viver velada. Selva de pedra institucionalizada. Mas precisamos do salário que ela nos confere.E estamos escravos de um sistema que nos esmaga e rouba nossa criatividade e liberdade de ser quem somos. Vamos andando para lugar nenhum,mas com a sensação que temos que continuar ou seremos tragados .Pois a sociedade e suas demandas tentam devorar nossas forças.

E um processo avassalador nos acompanha.Temos que produzir tudo ao mesmo tempo ,mas não temos tempo para criar ,descansar, ficar com quem amamos.Vemos nossos filhos crescerem e não acompanhamos seus primeiros passo, porque precisamos alimentá-los.Ou será ,que na verdade, precisamos mesmo é alimentar nossa ganância de poder e nos manter neste "status Quo" em detrimento de nossa saúde e de nossa felicidade?

Para onde estamos indo?Porque e para que estamos indo?

A Humanidade, essa palavra que a gente tenta entender , no fundo é um mistérios diário á desvendar. Mas sei que no meio de nossas tentativas de explicá-la, a gente vai parando um pouco pra olhar nos olhos do outro, e descobre que ela se revela neste momento. É só não acelerar o passo, diminuir o barulho , e perder mais tempo dentro nós. Aí a gente se enfrenta com mais verdade, e encontra a estrada certa pra percorrer o encanto de desvelar esse segredo. O tempo nos mostra que a gente pode se surpreender com a magia da vida, que nos empurra pros acasos que a gente nem sonhava viver.

Com tempo a gente vai entendendo que os dias são oportunidades de rever nossos valores,de refazer novos caminhos , de planejar outras alegrias e rever nossas jornada de desvios.

Com o tempo eu dei pra não desistir do tempo que passou .Não cobrar tanto a vida e deixar de contar com a sorte. Parecer quem sou é meu céu e meu inferno. E o tempo me ajuda a tirar de mim aquilo que não sei decifrar. E aos poucos vou desvendando e desfolhando as pétalas que me cansaram ;abandonando a noite que me nasceu e morreu em mim.Os dias trazendo certezas me levam a lutar ainda que não saiba ande ir.

A manhã me conta uma nova história,reinventa outro roteiro, redefine novos parâmetros Amanhã é outro dia e eu não vou temer.Mas só com o tempo eu entendi isso.

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

É preciso aprender a ficar com o "Nada"e enfrentar o Vazio

 Por Rosangela Brunet ღ
"Não existe coisa melhor do que pintar sobre o nada "Mark Rothko
É preciso aprender a ficar com o "Nada"e enfrentar o Vazio sem desmoronar,sem se viciar.É justamente o nada que nos captura e que nos atrai; que com seu mistério produz a beleza criativa desvinculada do vício da estética enquadrada pelas formas.Porque é em torno desse vazio que vamos construímos nossas vidas.Não há como duvidar disso. O que mais produziria essa infinita possibilidade de criação de tantos mundos ? Não há fonte tão inesgotável do que os nossos "nadas".Nada poderia gerar tantos universos desconhecido imersos a espera de Ser.
Como disse Marco Antonio C.Jorge " O artista parece com efeito ter um contato proximal com o inconsciente, ou pelo menos, parece deixar-se atravessar mais frequentemente por ele ..."Sou sensitiva, visual. Perfume e música me transportam para lugares inacessíveis a razão.Minha flor preferida é a murta Minha cor é rosa lilás ,minha pedra é ametista e a minha vida é uma história de amor.
assim a arte me atravessou em diversos níveis ,influenciou minha formação de várias formas. A arte se
Obra de Mark Rothko
tornou para mim um instrumento de compreensão do (meu) mundo. Minha paixão é enxergar o impossível e desvendar o impronunciável, é permear os afetos intocáveis. Sou obcecada pela captura do momento.Minha a arte é o mo(vi)mento.
Permeando meus afetos, ladeando minhas dores , varrendo minhas fugas ,assim vou trabalhando meu mudo e minhas paixões.Obcecada em capturar o momento, minha arte se transformou em mo(vi)mento. Nos meus "nadas" a palavra sempre se escondia em mistérios .Era o intraduzível me esperando .Mas quando vinha a poesia ,era o meu alívio me deixando tocar o (in)considerável, o (in) conduzível e o (in)pronunciável. A arte é a repressão civilizada, uma civil (ação) sublimada, o artista foi salvo do "mal estar " e escapa pela expressão do que ninguém ainda disse, porque não pôde, porque não soube, porque não coube nomear.
"A arte também foi feita pra unir. Pra protestar. Para seduzir. Por isso, passo a vida escrevendo. Lendo. Garimpando frases. Buscando o verso certo. A estrofe perfeita. Ou um conhecimento maior sobre mim mesma. Se estou conseguindo? Não sei. A arte nem sempre é bondosa. Um dia nos pega no colo e, no outro, nos faz enxergar o que ainda é difícil de ver. Mas tudo bem. Enquanto houver um poema pra nos consolar e uma boa canção pra nos comover, “a gente vai levando”.Fernanda Mello
Por isso, há muito o que se escrever.As palavras tem pressa.O silêncio quer atravessar nossa história .A memória quer nos lembrar seus segredos. O não-dito não cansa de esperar ser encontrado .A palavra grita a dedilhar nossa alma. A poesia me chegou de uma forma inesperada , de uma maneira doce acalmando meus ventos mais fortes. Ela veio com toda dor nas mãos se entregando, desejando o meu destino, e, eu , distraída que estava, me entreguei .Sou um "tambor da pulsão invocante" E nesse caminho uma música em mim ,ás vezes, sai do tom como uma sinfonia errada que acompanho sem entender. Como notas perdidas esqueço o compasso,troco meu passo e tento um outro "demi plié ".Sou ato inacabado e necessito de tempo, meu ritmo não se acompanha,minha partitura não tem cifra, não se decifra ,apenas toco no que alcanço, e isso pode estar além da imaginação. Não esta na mão de nenhum leitor "
✿¸.◦*´`✿ Rô Brunet .✿¸.◦*´`✿"