terça-feira, 22 de maio de 2018

A Vida ,Amor e Verdade

Por Rosângela Brunet



Para iniciar minha reflexão eu devo considerar que se estamos falando de Vida é mister que o Amor e a verdade estejam presentes para nos explicar seus segredos . Falar de amor não é fácil,mas não como refletir sobre vida sem tê-la em mente. É uma das matérias primas dessa grande obra de arte. E falando em mente não há como não deixar de relacioná-la com a verdade. 
Porque? Há uma frase que diz : "a mente mente" Porque?  Vamos entender melhor isso mais na frente.
Agora quero introduzir um conceito de Bert Hellinger que nos ensina que a Vida que nos é dada deve ser tomada com gratidão.Não importa qual é a bagagem que ela traz. A gratidão pela Vida que nos foi dada é uma condição para experimentar o Amor que vem com ela. Mas....




Não há vida sem emoção, sem afeto, sem dor, sem morte, sem perda, sem frustração,etc. A sugestão aceitar isso o mais rapidamente possível. Não há maturidade emocional sem se dar conta de nossa própria verdade.E para isso, é necessário aceitar,acolher, olhar de perto aquilo que nos vem todos os dias      e aquilo que evitamos encontrar. Por isso,  amor é urgente nesse processo.
 Não há  vida sem amor. Não há amor sem verdade. Não há verdade sem afeto, emoção ou dor. Só a morte  pode se vangloriar da imparcialidade e da inexistência dessa experiência vital que chamamos vida. 
Gostaria de esclarecer aqui o conceito de verdade. A verdade é aquilo que sou   de mais espontâneo, autêntico e essencial.Aquilo que, uma vez em contato com ela sou liberta.  

Segundo Renato Dias Martino: "Desapegar-se da realidade é uma tarefa simples comparada à empreitada de desfazer-se de uma ilusão(...)A ilusão é tão importante quanto a realidade, para aquele que se dedica ao exercício do pensar" Se eu me desapego devo saber que tenho que deixar para trás muitos afetos, ilusões e sentimentos desconhecidos não elaborados juntamento com o objeto ou pessoa abandonada."


Todos nós estamos neste momento vivenciando alguma dor, luto, sofrimento, ou algum tipo de afeto.Essas vivências podem ser  consciente ou não. E essa fato me leva às   seguintes perguntas: o que fazer com esta dor ou com essa experiência ?  Qual é a lição que a vida esta querendo me dar neste momento ao passar por  isso?  Que tipo de resistência eu estou  eventualmente desenvolvendo para evitar a vida?
Quanto mais eu evito a  vida , e com ela todas as profundas transformações, mudanças e emoções, mais me torno alienado da realidade.Mas distante me torno de mim mesma , da minha verdade, daquilo que realmente sou: Meu Eu verdadeiro, minha essência.


"A realidade é uma ilusão ,ainda que persistente", disse Albert Einstein.Quanto mais vivo em função do que a mente me diz eu saio da presença , do aqui e agora, e comprometo a apreensão daquilo que meus sentidos poderiam capturar. 


"A emoção subjacente que governa todas as atividades do ego é o medo. O medo de não ser ninguém, o medo da não existência, o medo da morte. Todas as suas ações, enfim, destinam-se a eliminar esse temor. No entanto, o máximo que o ego consegue fazer é encobri-lo temporariamente, seja com um relacionamento íntimo, a aquisição de um novo bem ou tendo um desemprenho numa coisa ou noutra. A ilusão nunca nos satisfaz. Apenas a verdade de quem nós somos, se compreendida, nos libertará."Eckart Tolle 



Há algumas razões para não podermos capturar toda a realidade ao nosso redor. 
  • Há bilhões de estímulos diante de nosso olhar chegando a nós, nos atingindo.Não somos capazes de apreendê-los todos ao mesmo tempo. É necessário um filtro.Por isso, o ego entra em ação para nos auxiliar a viver no mundo com capacidade de funcionar de forma adequada.
  • Por outro lado, o Ego/mente não é formado totalmente de verdade,pois na medida em que ele filtra ele cria uma realidade em função de nossas experiências ao longo da vida, levando em conta nossa dificuldade de aceitar a vida como ela é. As defesas do ego são necessárias neste momento para envitarmos a dor e de canalizarmos nossa atenção e energia apenas para o prazer.Isso se inicia desde a tenra infância. Sendo assim, obviamente, este ego irá auxiliar,mas também comprometer a nossa capacidade de análise, crítica, e percepção, levando nossa verdade para bem longe daquilo que chamamos de comportamento. Criamos máscaras para lidar com as nossas questões no mundo, desempenhamos papéis para podermos nos relacionarmos adequadamente na sociedade. A questão principal nesse processo é quando essas defesas se tornam engessadas e as máscaras se tornam nossa própria pele. Nesse caso não seremos capazes de vivermos a vida , de vivenciar o máximo de alegria, paz, contentamento, etc.Tudo que ela tem para nos dar.- - ela tem muito,mas muito mesmo a nos oferecer. A Vida é uma experiência que podemos negar ou aceitar.Tomá-la como ela é. 
  • Outra razão que nos distancia da verdade é a cultura. Cada cultura na qual o indivíduo esta inserido irá  ajudar na construção do que Sigmund Freud chamou de  Super ego e do  Ideal de Ego em “Sobre o narcisismo” (1914c) . 
Entenda mais sobre este conceito de Ideal de Ego e saiba a diferença entre Ego ideal 


Todo sujeito desenvolve defesas do ego  para se defenderem da dor e/ou para lidar com as demandas culturais Isso é vital para a natureza.Não há nada de errado nisso. O problema é quando este auto-engano se torna uma defesa rígida e dificulta a maturidade emocional.Todos nós aprendemos a nos defender. Até os animais possuem esta capacidade. As plantas possuem defesas para enganar a natureza em prol de sua perpetuação.Mas descobrir que tipo de defesa ou resistência que nós desenvolvemos para evitar a dor pode ser um dos caminhos mais difíceis e desfiadores. Por isso , é importante entender o conceito de resistência. Resistência é um mecanismo de defesa extremamente importante para o ser humano.
Clarice Lispector já dizia: "... Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro. " 
A resistência existe para defender o Eu de alguma ameça do meio ou do id. 
Os mecanismos de defesa tem como objetivo proteger a integridade do ego. 
"Segundo Freud, nem tudo que nos ocorre é agradável ao nosso consciente e o nosso ego pode considerar uma série de ocorrências como ameaçadoras à sua integridade, ao seu bem-estar. Nesse sentido diante das exigências das outras instâncias psíquicas – Id, que é nosso lado mais instintivo e do superego, que representa nossos valores morais e regras internalizadas – o ego deseja proteger-se para garantir o bem estar psicológico do sujeito frente a esses conteúdos indesejados."(Luiz Ricardo Friano)


    Marc Chagal - Il Sogno

Ao falar sobre cultura é necessário entender bem este conceito. O dicionário diz que "Cultura significa todo aquele complexo que inclui o conhecimento, a arte, as crenças, a lei, a moral, os costumes e todos os hábitos e aptidões adquiridos pelo ser humano não somente em família, como também por fazer parte de uma sociedade da qual é membro.Cada país tem a sua própria cultura, que é influenciada por vários fatores. A cultura brasileira é marcada pela boa disposição e alegria, e isso se reflete também na música, no caso do samba, que também faz parte da cultura brasileira." (1)Para aprofundar um pouco sobre o que a psicanálise fala sobre o sujeito que se constitui e a a importância da cultura nessa constituição assista este pequeno vídeo do Chritian Dunker


Partindo destes conceitos podemos tentar refletir sobre a razão pela qual temos tanta dificuldade de aceitar a vida como ela é e partirmos satisfeitos ou pelo menos com mais auto-responsabilidade diante de tudo que chega a nós .
Para entendermos melhor a relação que há entre Ego, super ego, ideal de ego, cultura e saber aceitar a vida como ela, bem como os benefícios que essa aceitação nos traz eu convido vocês a lerem minha próxima postagem. 
Gratidão 



(1)  https://www.significados.com.br/cultura/



Nenhum comentário:

Postar um comentário