quarta-feira, 20 de maio de 2015

Fotografia de Katie Crawford- Ensaio Fotográfico Sobre Depressão e Ansiedade

Fotografia de Katie Crawford

‘My Anxious Heart' é o nome do poderoso trabalho da artista Katie Crawford, que com imagens tenta mostrar como é viver e conviver com o transtorno de ansiedade.
Katie Crawford quis ilustrar como é “emocional e fisicamente esgotante” sofrer do transtorno de ansiedade. Numa série de imagens publicadas no seu site, a artista dá uma perspetiva pessoal da doença que atormenta milhares de pessoas em todo o mundo.PUB

"Não importa o quanto eu resisto, sempre estará aqui desesperado para me segurar, me cobrir, me quebrar. Todo dia eu luto contra isso. ‘Você não é bom o suficiente para mim e nunca será.’ Mas lá está ele, esperando por mim quando eu acordar e pronto para me segurar enquanto eu durmo. Ele tira o meu fôlego. Ele me deixa sem palavras”.

“Uma vez que é dentro da minha própria mente que a ansiedade nasce, decidi interpretar os meus papéis tanto como instigador e vítima através de autorretratos”, escreve a autora na sua página online, onde divulgou o trabalho ‘My Anxious Heart’.

Através de uma série de imagens, Katie interpreta “visualmente” a sua própria “jornada emocional e física para que outros possam ser capazes de compreender este peso que tanto atormenta a sociedade”.
As ramificações físicas da doença, tais como coração acelerado, tonturas, falta de ar, “que muitas vezes passam despercebidos ou são mal interpretados por aqueles que nunca sofreram de ansiedade”, estão espelhados nas fotografias captadas pela artista.
“Embora os sintomas físicos constituem uma grande parte da desordem, o resultado emocional é extremamente difícil para ‘encapsular’ também”, diz.
"Você foi criado para mim e por mim. Você foi criado para minha reclusão. Você foi criado na defesa venenosa. Você é feito de medo e de mentiras. Medo de promessas não correspondidas e de perder a confiança tão raramente dada. Você foi formando toda a minha vida. Mais forte e mais forte”.


" Eu tinha medo de dormir. Eu senti o pânico mais bruto na escuridão plena. Na verdade, escuridão completa não era assustador. Era o pouco de luz que projetava uma sombra — uma sombra aterrorizante”.

A estudante de fotografia fez um ensaio muito íntimo sobre essas duas doenças que atacam a humanidade moderna. Ela explica.:“Através deste trabalho, eu estou interpretando visualmente minha própria jornada emocional e física para que os outros possam ser capazes de compreender esse peso que tantos carregam em nossa sociedade. Os sintomas físicos da doença, tais como coração acelerado, tonturas e falta de ar, muitas vezes passam despercebidos ou são mal interpretado por aqueles que nunca sofreram de ansiedade. Embora os sintomas físicos constituem uma grande parte da desordem, o lado emocional é extremamente difícil de lidar. Ansiedade impede que o doente assuma novos riscos, explore novas ideias e saia de sua zona de conforto. Ela garante que ele nunca vai estar sozinho. Ela vai encontra-lo mesmo em momentos de alegria ou sozinho em sua mente. Ela é calma e firme, lembrando de seus fracassos passados e fabricando seus resultados futuros."
“Um prisioneiro de minha própria mente. O instigador dos meus próprios pensamentos. Quanto mais eu penso, pior fica. Quanto menos eu penso, pior fica. Respire. Apenas respire. Derive. Isso vai aliviar em breve.”.
“Falavam-me para respirar. Eu posso sentir meu peito se movendo para cima e para baixo. Para cima e para baixo. Para cima e para baixo. Mas por que sinto que estou sufocando? Eu seguro minha mão debaixo do meu nariz, certificando que há ar. Eu ainda não consigo respirar”.
“Cortes tão profundos que parece que nunca vão se curar. Dor tão real, é quase insuportável. Eu me tornei isso… este corte, essa ferida. Tudo o que sei é a mesma dor, respiração afiada, olhos vazios, com as mãos trêmulas. Se é tão doloroso, por que deixa-lo continuar? A menos que… talvez seja tudo que você sabe”.
“É estranho — na boca do seu estômago. É como quando você está nadando e você quer colocar os p~es para baixo, mas a água é mais funda do que você pensou. Você não pode tocar o fundo e seu coração para de bater”.

“Minha cabeça está enchendo com hélio. O foco está desaparecendo. Uma decisão tão pequena para tomar. Uma pergunta tão fácil de responder. Minha mente não está deixando. É como mil circuitos atravessando ao mesmo tempo”.


Fonte:

https://katiejoycrawford.wordpress.com/
http://www.noticiasaominuto.com/mundo/391886/artista-revela-em-imagens-como-e-sofrer-de-ansiedade#/615/3

Nenhum comentário:

Postar um comentário